A Argentina volta a campo! Sim, os clubes de futebol do país vizinho ao Brasil estarão retornando as atividades nesta segunda-feira. Essa será a primeira movimentação com bola no país desde a paralisação por conta do novo Coronavírus, que durou mais de 140 dias.

Nessas duas primeiras semanas, as sessões de treinamento acontecerão em grupos com apenas seis atletas, que deverão estar a uma certa distância entre si. Mesmo retornado as "atividades", nem todos os jogadores do River Plate voltarão a campo, por exemplo.

A volta do futebol no país pegou alguns dirigentes desses times de surpresa, como é o caso de Pablo Moyano - vice-presidente do Independiente - Moyano não acreditava que o futebol pudesse ser restabelecido no país neste momento e que isso levaria um pouco mais de tempo.

Campo do Boca Juniors - sem futebol a mais de 140 dias
Campo do Boca Juniors - sem futebol a mais de 140 dias

"Ficamos surpresos com o retorno do futebol, pensamos em voltar mais tarde. Estamos trabalhando na compra de todos os instrumentos para cumprir com os protocolos", afirmou ele em entrevista a uma rádio local.

O Boca Juniors, por exemplo, fez sua última partida oficial em 14 de março, na vitória sobre o Godoy Cruz por 4 a 1, pela Copa da Superliga. O time da Bombonera só voltará a campo para um jogo oficial no dia 17 de setembro, diante do Libertad - do Paraguai, em Assunção, pela terceira rodada da Libertadores da América - pelo Grupo H. Na semana seguinte a equipe visitará o Independiente de Medellín, na Colômbia.

Algo que vem preocupando e muito os dirigentes argentinos é a desvantagem para os times brasileiros, que em sua grande maioria já vem trabalhando desde o final de maio. Tirando o Racing, o restante dos times argentinos que participam da Libertadores solicitaram a AFA que essa questionasse a Conmebol sobre um possível adiamento da competição em questão - algo não aceito pela entidade máxima do futebol sul-americano.