Com intuito de encerrar o calendário em 2020 do futebol brasileiro, CBF apresentou durante a última semana uma alternativa para os clubes, no entanto, os jogadores desses não concordam. A ideia era diminuir o intervalo entre uma partida e outra de 66 horas para 48 horas, apesar dos problemas impostos pela pandemia do Coronavírus.

Vale ressaltar que a Confederação Brasileira de Futebol ainda não tem previsão para retomada do futebol em nosso país, ou seja, as suas competições - como Copa do Brasil e Brasileirão.

Em decisão de não aceitar a proposta então sugerida pela entidade máxima do futebol no Brasil, o presidente da Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol em entrevista declarou o seguinte:

"Nós fizemos uma consulta. Todos disseram não. Não pode haver jogos com intervalo inferior a 66 horas. A Fenapaf não está autorizada a quebrar o acordo, pois a categoria não concorda com a ideia. É para cumprir o acordo assinado em Campinas, há três anos, que se estendeu para todo o Brasil", declarou Felipe Augusto ao site "globoesporte.com".

Com isso, a CBF e os clubes não descartam a possibilidade de encerrar o Brasileirão 2020 em janeiro ou fevereiro de 2021. Os torneios regionais têm a previsão de voltarem aos gramados em meados de julho.