A volta dos torcedores aos estádios após a pandemia originada pelo novo Coronavírus está muito próxima de acontecer. Calma, não estou falando do Brasil ou da América do Sul, mas sim no futebol europeu.

A disputa da Supercopa da Europa entre Bayern de Munique e Sevilla, que será realizada em Budapeste no mês de setembro, contará com até 30% da capacidade do estádio - como uma espécie de teste para a UEFA permitir ou não a volta gradativa dos fãs do futebol aos estádios em seus torneios. Lembrando que antes desse jogo, outros já contaram com a volta dos torcedores, como por exemplo, o amistoso entre Brighton x Chelsea há poucos dias atrás; na Rússia, estádios estão permitidos receberem 10% de sua capacidade e na Bielorrússia, nem mesmo chegou a fechar os portões em nenhum momento.

A França que já iniciou a sua nova temporada, está autorizando a presença máxima de 5 mil torcedores por vez. Por sua vez, a Bundesliga que ainda não retornou, já estuda abrir os seus estádios em novembro.

Na Hungria, o público já está de volta desde maio, com restrição de espaço de até três assentos entre uma pessoa e outra. A Rússia como já declaramos acima, também já recebe uma parte dos torcedores nas Arenas e Estádios em dias de jogos, onde está liberada a entrada de até 10% da capacidade dos mesmos, como destaca Allef Andrade - jogador que defende o Baltika Kaliningrad - da segunda divisão: "Para quem joga é bem melhor ter os torcedores de volta ao estádio e tem funcionado de uma forma positiva. Os torcedores têm seguido com os protocolos, como máscaras, álcool em gel e distanciamento entre si. Aqui as pessoas respeitam bastante, porque querem ir ao estádio ver as partidas".

No Brasil, os governos junto com as autoridades médicas e com a CBF estudam a volta dos torcedores aos estádios no mês de novembro, para o início do segundo turno do Brasileirão, onde até lá vários estudos a respeito devem ser analisados para que isso possa se tornar realidade.