Em entrevista à coluna Painel - do jornal "Folha de São Paulo, Rogério Caboclo - presidente da Confederação Brasileira de Futebol comentou a respeito da medida provisória dos direitos de transmissão editada na quinta-feira passada pelo Presidente da República - Jair Bolsonaro, onde o "chefão" da CBF elogiou a decisão do "capitão".

"Está provado que não há monopólio da Globo. Mas se referindo a pujança da emissora, não vejo que fique prejudicada também. De fato a Globo é parceira da CBF e irá desta forma continuar sendo. Não acredito que isso irá enfraquecer a Globo", comentou o mandatário da entidade máxima do futebol brasileiro ao jornal acima citado.

Rogério Caboclo - presidente da CBF.
Rogério Caboclo - presidente da CBF - imagem: arquivo

Para Caboclo, além de não prejudicar com tal emissora, a medida provisória do governo servirá para a entrada de outras plataformas, bem como o Facebook, a Amazon e o Google na busca dos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro, por exemplo.

"Potencialmente, sim. Amazon, Facebook e Google ainda não chegaram aportando dinheiro no futebol brasileiro. Talvez seja um mote para que eles tenham mais interesse para chegar firme no mercado do Brasil. Pode ser o caminho", continuou Caboclo.

Para finalizar, ainda comentou sobre a mudança com relação aos pequenos e médios times:

"Não estou certo disso. O tempo irá nos mostrar. Veja, o direito de negociação individual já existia. O que altera agora é que o clube talvez tenha maior prerrogativa na hora da venda, que é essa transmissão a partir do mandante. O mercado se assentará. Toda mudança gera uma celeuma".