Depois do secretário especial do Ministério da Economia confirmar que o retorno do futebol poderia ser "em breve"; no final da tarde desta última segunda-feira foi à vez do Presidente da República - Jair Bolsonaro afirmar que o seu governo está analisando uma maneira de viabilizar um parecer do Ministério da Saúde para liberar a volta gradual de jogos e torneios deste esporte no país.

A fala do presidente se deu durante a sua saída do Palácio da Alvorada. "Fui procurado por algumas autoridades do futebol, está sendo trabalhado neste sentido. Conversei com um técnico de futebol neste final de semana, lá no Rio Grande do Sul, que foi favorável, primeiramente, a não ter jogos, porque a contaminação acontece no vestiário, mas agora é favorável", declarou o mandatário brasileiro.

De acordo com Bolsonaro, os jogos claramente neste primeiro momento não teriam a presença do público - as partidas serão com portões fechados.

Maracanã - estádio de futebol do Rio de Janeiro.
Futebol no Brasil só possivelmente a partir de junho ou julho.

"Quanto ao que comentou o treinador, é só não deixar tanta gente no vestiário. Flamengo, Palmeiras tem folha próxima de R$ 15 milhões. Times de segunda divisão uma parte vai ser extinta. Pelo que me consta já estão fazendo acordos para jogador ganhar 60%, 50%, 40% do que recebiam, não tem receita, bilheteria, não tem televisão", continuou.

Para concluir, o Presidente da República disse que vem conversando com o secretário especial do Esporte - Marcelo Magalhães e também com o Secretário da Saúde - Nelson Teich; sem comentar das conversas que estão ocorrendo entre esse último ministro e a CBF.

"Existe um pedido para avaliar o retorno de jogos sem público, da CBF. Isso é uma coisa que estamos avaliando. Nem tudo o que a gente avalia é para ser definido. Não é coisa definida ainda. Mas são algumas iniciativas que de alguma forma poderiam trazer uma rotina um pouco melhor para o dia a dia da população", finalizou.