Nesta terça-feira, mais um dos maiores clubes do futebol mundial teve que tomar atitudes por conta da pandemia do novo Coronavírus. Através de comunicado em seu site oficial, o presidente do Tottenham, Daniel Levy, anunciou que, durante os meses de abril e maio, os vencimentos de todos os funcionários da instituição sofrerão corte de 20%, assim como todos os clubes do futebol europeu.

Confira a nota na íntegra:

"Vimos alguns dos maiores clubes do mundo, como Barcelona,​​Bayern de Munique e Juventus, tomar medidas para reduzir seus custos. Ontem, depois de tomarmos medidas para reduzir custos, tomamos a decisão difícil para proteger empregos para reduzir em 20% a remuneração de todos os 550 diretores e funcionários que não jogam nos meses de abril e maio, utilizando, quando apropriado, o regime de licença. Continuaremos a rever esta posição." diz o comunicado.

Além disso, o presidente do Tottenham revelou que todas as operações da instituição cessaram efetivamente e ainda criticou a maneira como o mundo do futebol está lidando com a situação, afirmando que o esporte "não pode funcionar em uma bolha":

"Quando leio ou ouço histórias sobre transferências de jogadores neste verão como se nada tivesse acontecido, as pessoas precisam acordar com a enormidade do que está acontecendo ao nosso redor. Com mais de 786.000 infectados, quase 38.000 mortes e grandes segmentos do mundo em confinamento, precisamos perceber que o futebol não pode funcionar em uma bolha. Talvez seja o oitavo maior clube do mundo em receita, de acordo com a pesquisa da Deloitte, mas todos esses dados históricos são totalmente irrelevantes, pois esse vírus não tem limites", completou.