BOMBA!! UEFA bane Manchester City de competições europeias e aplica multa de R$140 milhões

A decisão foi comunicada de forma oficial na tarde desta sexta-feira. Ao City, cabe recurso na Corte Arbitral do Esporte (CAS)

Por Talis Andrey de Mello
Compartilhe

Sem dúvidas, a maior bomba do futebol mundial em 2020: Nesta sexta-feira, a UEFA anunciou oficialmente que o Manchester City está banido de todas as competições financeiras pelas próximas duas temporadas. A entidade máxima do futebol europeu divulgou um comunicado explicando que a decisão foi tomada pelo Organismo de Controle Financeiro (CFCB), que também aplicou uma multa de 30 milhões de euros (cerca de R$135 milhões) ao clube inglês por cometer infrações graves e também não cooperar nas investigações. A decisão cabe recurso à Corte Arbitral do Esporte (CAS).

O Manchester City foi considerado culpado por ter inflacionado de forma inverídica os valores de seus patrocínios, apresentados à UEFA em processo após ter documentos vazados pela revista alemã "Der Spiegel", em novembro de 2018. Nos emails vazados, o proprietário do clube, o Sheik Mansour bin Zayed Al Nahyan, da família que governa Abu Dhabi, estaria financiando o patrocínio de 67,5 milhões de libras em camisa, estádio e divisões das categorias de base através de sua companhia aérea, a Etihad.

Manchester City est banido da Liga dos Campeões da Europa nas duas próximas temporadas. (Foto:Divulgação)
Manchester City está banido da Liga dos Campeões da Europa nas duas próximas temporadas. (Foto:Divulgação)

Um dos documentos mostra que apenas 8 milhões de libras desse patrocínio na temporada 2015/2016 foram financiados de forma direta pela Etihad, enquanto o restante veio do veículo da empresa de Mansour para a propriedade do City, o Abu Dhabi United Group.

Após a confirmação da pena, o Manchester City emitiu uma nota oficial, afirmando que a decisão foi levada para recurso:

"O Manchester City está desapontado, mas não surpreso com a decisão do Organismo de Controle Financeiro (CFCB) da Uefa. O clube sempre antecipou a necessidade de procurar um órgão independente para considerar imparcialmente o conjunto abrangente de evidências irrefutáveis em apoio à sua posição.

Em dezembro de 2018, o Investigador Chefe da Uefa previa publicamente a sanção que ele desejava impôr ao clube, mesmo que nenhuma investigação tivesse se iniciado à época. O processo falho e constantemente vazado da Uefa que ele supervisionava deixava poucas dúvidas quanto ao resultado que ele anunciaria. O clube reclamou formalmente para o Comitê Disciplinatório da Uefa, reclamação esta que foi validada por uma decisão do CAS".

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal