ATENÇÃO: Gritos homofóbicos em estádios podem custar caro para clubes; veja

A recomendação que pune o ato de homofobia é uma reação do órgão competente a pressão da FIFA e de uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Vale lembrar que a CBF já foi multada cinco vezes por esses atos.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Atenção, muita atenção ao que você irá falar em estádios de futebol dentro das competições nacionais a partir de agora. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva - STJD, determinou nesta última segunda-feira que atitudes homofóbicas em estádios, como gritos de "bicha" nas cobranças de tiro de meta, poderão ser passíveis de punição ao clube pela qual essa torce, podendo custar três pontos ou mais na tabela de classificação.

O texto enviado aos clubes tem o nome de recomendação do STJD, mas o conteúdo possui um tom de "alerta"; de aviso. Os árbitros e assistentes também foram mencionados e incentivados a agirem em casos de preconceito.

Homofobia no futebol.

O texto que iremos publicar abaixo em partes, é assinado pelo Procurador-Geral do STJD - Felipe Bevilacqua, que entende que casos homofóbicos devem sim serem enquadrados no artigo 243-G do Código Disciplinar, que diz o seguinte: "Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionados a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência".

Mas não pense você que será somente a retirada de três pontos da equipe que tiver a torcida gritando nomes homofóbicos, pois não será só isso - em caso de reincidência desta torcida, o clube terá valor da pena dobrado, ou seja, serão perdidos seis, nove, doze...

A recomendação que pune o ato de homofobia é uma reação do órgão competente a pressão da FIFA e de uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Vale lembrar que a CBF já foi multada cinco vezes por esses atos - quatro nas Eliminatórias e outra na Copa América.

O texto pede a implantação destas providências o mais breve possível. Veja abaixo uma parte deste mesmo:

"Que a partir desta data os árbitros, auxiliares e delegados das partidas relatem na súmula e/ou documentos oficiais dos jogos a ocorrência de manifestações preconceituosas e de injúrias em decorrência de opção sexual por torcedores ou partícipes das competições".

 

Mais sobre: homofobia futebol stjd
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal