De acordo com informações do portal UOL e posteriormente confirmada pelo GloboEsporte.com, o Conselho da FIFA irá se reunir no próximo dia 27 para analisar a questão dos campeões da Copa Intercontinental, torneio realizado anualmente entre o Campeão da Libertadores e o Campeão da UEFA Champions League de 1960 a 2004. Na ocasião, a entidade máxima do futebol irá se pronunciar se chancela estes vencedores como donos de um título mundial.

A Copa Intercontinental foi disputada entre os anos de 1960 a 2004, tendo como campeões os seguintes times brasileiros: Santos - 1962 e 1963, Flamengo - 1981, Grêmio - 1983 e São Paulo - 1992 e 1993.

A iniciativa desta ideia partiu da Conmebol, que está solicitando a inclusão da discussão da legitimidade dos referidos títulos - a reunião marcada para o dia 27, na Índia, um dia antes da final da Copa do Mundo Sub-17, contará com a presença do presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, do vice-presidente da CBF e de mais três representantes sul-americanos.

A Conmebol tem com essa ideia a legitimação da Copa Intercontinental, que ela (Conmebol) quer reaver, ou seja, a Confederação Sul-Americana de Futebol quer que o duelo entre o Campeão da Libertadores e o da Champions League volte a ser realizado, uma vez que a FIFA deverá transformar o Mundial de Clubes em uma competição nos moldes da agora extinta Copa da Confederações - disputada a cada quatro anos. Segundo informações, essa ideia deverá sair do "papel" somente a partir de 2021.

Se a FIFA reconhecer os campeões da Copa Intercontinental, como legítimos Campeões Mundiais, o São Paulo será o clube brasileiro com mais conquistas desse nível - 1992, 1993 e 2005, o Santos (1962 e 1963) empataria com o Corinthians (2000 e 2012), e Flamengo e Grêmio, 1981 e 1983, respectivamente, se igualariam ao Internacional, campeão em 2006.