As quartas de finais da Copa do Brasil foram extremamente importantes para trazer e desafiar um dos maiores questionamentos do futebol brasileiro nos últimos anos: Alto investimento é retorno garantido? Na noite da última quarta-feira, provou-se que não.

Fato é que, grandes investimentos fazem times espetaculares, e desde há alguns anos atrás, alguns projetos com grandes ambições esportivas acabaram não dando muito retorno. Mesmo para o time que mais investiu no início de 2019, com cerca de R$ 150 milhões, como o Flamengo, foi necessário que tivessem mudanças no meio de temporada, como a demissão do técnico Abel Braga. Ainda assim, o rubro-negro foi dominado e eliminado pelo Athletico, time com investimento e com nomes muito menos expressivos em seu elenco.

 Outro time de grande investimento que foi precocemente eliminado foi o Palmeiras. O clube com elenco mais completo do futebol brasileiro foi derrotado pelo Internacional, e mais do que o resultado negativo, o desempenho decepcionante foi o fator mais questionado pela torcida palmeirense e pela imprensa. Mesmo com grande favoritismo na Copa Libertadores da América, e sendo líder do Campeonato Brasileiro, o time comandado por Felipão levantou diversos questionamentos, e com a superioridade evidente do time gaúcho na fatídica partida fez com que os altos investimentos feitos pela equipe paulista fossem mais cobrados.

Tudo isso coloca em xeque e evidencia a maior característica do futebol em sua história: A emoção. Pelo menos por enquanto, ainda podemos dizer que o dinheiro compra quase tudo no futebol, menos a emoção.