Minha Torcida Logo

Odebrecht responde ao governo do Rio de Janeiro sobre o Maracanã

Assim como declarou o governador em sua entrevista coletiva, nesta última segunda-feira em relação à Copa América, a Odebrecht esclarece que é a empresa contratada pela Conmebol para a realização de todas as operações da competição dentro do Maracanã, inclusive na "Final".

Por
Compartilhe

Após ver seu contrato de concessão quebrado pelo governo do Rio de Janeiro, a Odebrecht em nota critica a decisão do governo do Estado que lhe tirou o direito de administrar o Maracanã.

Na mesma nota a empresa diz que o estádio corre o sério risco de cair em um “limbo” jurídico, ficando assim as “moscas” por um longo período. Nesta mesma, a Odebrecht ressalta que tem contrato relacionado à operação dos jogos da Copa América – vale ressaltar que em nenhum momento a mesma indica que entrará com uma ação judicial contra o governo estado para questionar a sua decisão de cancelar a concessão do estádio, decretada pelo governador – Wilson Witzel nesta última segunda-feira.

Maracanã será palco da grande decisão da Copa América e será dirigida pela Odebrecht, que diz ser contratada pela Conmebol.Maracanã será palco da grande decisão da Copa América e será dirigida pela Odebrecht, que diz ser contratada pela Conmebol.

Witzel alegou em entrevista coletiva no dia de ontem quando anunciou a quebra de concessão com a Odebrecht sobre a administração do Maracanã, que essa mesma não havia firmado com o que tinha assinado em contrato, ou seja, que a empresa em questão estaria com uma dívida de R$ 38 milhões junto ao governo do Estado e com custos altos que reduzem a lucratividade dos clubes.

Por outro lado, a companhia que até então vinha administrando o Maracanã rebate as acusações do governado do Rio de Janeiro, com a seguinte justificativa:

“As outorgas em atraso mencionadas pelo governo seriam referentes à contrapartida do CME (Complexo Maracanã) pelo uso comercial das áreas do entorno do estádio, fato que não ocorreu em função da decisão unilateral do governo de tombar as áreas referentes ao Célio de Barros e ao Júlio Delamare, entre outras”.

Para completar, a nota da Odebrecht lamenta a decisão tomada pelo governo carioca, onde ela diz:

“O CME lamenta a decisão do governo, principalmente pelo fato de o governador e os seus secretários terem, desde o início do mandato, sinalizado positivamente para o planejamento estratégico do CME, principalmente em relação ao plano de desenvolvimento do entorno apresentado pela empresa numa reunião realizada em 17 de janeiro, no estádio, com a presença do governador Wilson Witzel”.

Assim como declarou o governador em sua entrevista coletiva, nesta última segunda-feira em relação à Copa América ou a realização da mesma no Maracanã, a Odebrecht esclarece que é a empresa contratada pela Conmebol para a realização de todas as operações dos cinco jogos da Copa América dentro do Maracanã, inclusive a final.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Siga nossas redes sociais