Coronel Nunes não estará presente na próxima reunião da Conmebol, entenda:

Por fazer parte do Conselho da Conmebol, Antonio Carlo Nunes recebe por isso – a federação paga um salário mensal de US$ 20 mil.

Por
Compartilhe

Uma lástima para o futebol brasileiro – o principal responsável pelo futebol nacional não se fará presente na reunião do Conselho da Conmebol, na próxima semana, onde entre os assuntos a serem debatidos estarão a Copa América-2019, que será disputada no Brasil.

Coronel Nunes - presidente da CBF.Coronel Nunes - presidente da CBF.

Antonio Carlos Nunes – presidente da Confederação Brasileira de Futebol e representante do conselho na entidade máxima do futebol sul-americano alega não ter clima para comparecer na Conmebol, visto que o Brasil foi voto contrário aos demais países da confederação na votação para escolher a sede da Copa do Mundo de 2026 – o representante brasileiro votou no Marrocos, ao invés de votar nos EUA (que venceu a disputa) como havia sido combinado e desde então ficou sem ambiente para frequentar as reuniões da entidade sul-americana.

Porém, por fazer parte do Conselho da Conmebol, Antonio Carlo Nunes recebe por isso – a federação paga um salário mensal de US$ 20 mil.

Com isso, o representante do país na referida reunião será Rogério Caboclo – diretor-executivo e futuro presidente da CBF. Caboclo assume o comando da Confederação Brasileira de Futebol a partir de abril de 2019. Além dele, Fernando Sarney – vice-presidente atual da CBF também estará presente. Sarney é um dos integrantes legais do Conselho da FIFA.

Rogério Caboclo - futuro presidente da CBF.Rogério Caboclo - futuro presidente da CBF.

Na reunião da Conmebol na próxima semana, serão tomadas algumas medidas importantes a respeito da Copa América de 2019 – essa mesma que será disputada no Brasil entre os dias 7 e 30 de junho do próximo ano. Está previsto que nesta reunião sejam definidos os estádios da abertura e da final da competição – Morumbi (abertura) e Maracanã (final) são os favoritos.

Com voto contrário aos demais membros do conselho, Coronel Nunes – como também é conhecido o presidente da CBF, passou a ser “persona” não grata na Conmebol e pelos demais presidentes das entidades futebolísticas dos países sul-americanos.

Mais sobre: cbf conmebol coronel-nunes
Comentários