Conmebol quer Copa do Mundo com 48 países

Presidente da Conmebol sugere Copa do Mundo com 48 seleções - ideia que é bem recebida pelo presidente da FIFA.

Por
Compartilhe

De acordo com matéria publicada pelo site "globoesporte.com", o Presidente da Conmebol – Alejandro Domínguez solicitou nesta quinta-feira durante o 68º Congresso Ordinário um pedido de todas as federações do continente, que desejam que o Mundial de 2022 tenha 48 seleções e não 32 como é atualmente.

Alejandro Domínguez durante sua explanação no Congresso Ordinário.Alejandro Domínguez durante sua explanação no Congresso Ordinário.

“Como nós pensamos grande e porque queremos uma competição justa, quero aqui fazer a entrega de uma carta de solicitação assinada pelos 10 países da Conmebol para que o Mundial de 2022 tenha 48 seleções”, declarou Domínguez.

Com a presença do presidente da entidade máxima do futebol mundial – Gianni Infantino no Congresso, o mesmo se mostrou entusiasmado com a proposta pelo número de seleções no próximo mundial após os jogos da Rússia.

“Fui eu quem abri o Mundial para 48 seleções. E agora temos essa petição da Conmebol, que parece uma ideia interessante. Temos que estudar profundamente essa proposta. Se é ou não viável. É algo muito interessante e teremos que estudar a sério”, declarou o presidente da FIFA.

Presidente da FIFA diz ser interessante a ideia de ter 48 seleções na Copa do Mundo.Presidente da FIFA diz ser interessante a ideia de ter 48 seleções na Copa do Mundo.

Ainda durante o 68º Congresso Ordinário da Conmebol, o presidente da entidade aproveitou a oportunidade para reiterar o apoio à candidatura conjunta de Argentina e Uruguai para sediar o Mundial de 2030.

“Gostaríamos de reiterar o pedido que o Mundial volte para casa quando a Copa do Mundo completar 100 anos”, afirmou, fazendo alusão à primeira Copa do Mundo, que foi disputada no Uruguai, no ano de 1930.

Seleção do Uruguai de 1930 - Campeã da primeira Copa do Mundo.Seleção do Uruguai de 1930 - Campeã da primeira Copa do Mundo.

 

Mais sobre: conmebol fifa congresso
Comentários