A entidade máxima do futebol na América do Sul em nota divulgou nesta quinta-feira que as 50 mil doses de vacinas contra a COVID-19 doadas pelo laboratório chinês Sinovac, foram fabricados exclusivamente para o futebol sul-americano e que, de nenhum modo, são vacinas destinadas a qualquer outro fim, alertando aos países, como o Brasil, que ameaçou tomar essas doses para a população em geral caso elas entrassem em nosso território.

A Conmebol ainda ressaltou que a distribuição dos imunizantes começará nos diversos países, com cumprimentos das normas legais e sanitárias em vigor em cada região. O Brasil veda o uso de vacinas contra coronavírus por entidades privadas.

A Confederação Brasileira de Futebol - CBF para receber essas doses, terá que primeiramente receber uma autorização da ANVISA, que alertou que até agora não fora consultada pela CBF a respeito do tema.

Início da vacinação

A Conmebol informou que irá começar a vacinação com as equipes da Copa América e aquelas que estão participando de torneios internacionais, com a intenção de imunizar times masculinos e femininos da primeira divisão de cada uma dos 10 países filiados. Além desses, árbitros e envolvidos nesses jogos também deverão ser vacinados.

A entidade aqui em destaque avisa que a vacinação não será obrigatória, deste modo, não irá excluir dos torneios por ela organizados, os atletas que se negarem a tomar a mesma. Essas 50 mil doses devem chegar a América do Sul pelo Uruguai já na próxima semana.