Logo após clubes ingleses anunciarem que estariam abandonando a Superliga Europeia, Aleksander Ceferin - presidente da UEFA em nota comemorou a decisão dos clubes em questão. O mesmo disse que a decisão desses foi acertada, principalmente por ouvirem seus torcedores - o Manchester City ainda tentou permanecer no projeto, mas também se viu pressionado a abandonar a questão logo após anuncio das saída de Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester United e Tottenham.

"Estou muito satisfeito por receber o Manchester City de volta a família do futebol europeu. Eles mostraram grande inteligência ao escutar as muitas vozes, especialmente a de seus torcedores, que articularam os benefícios vitais do atual sistema para todo o futebol europeu", comentou o mandatário da UEFA.

Ameaças a semifinalistas da Champions

Vale lembrar que nesta última terça-feira, em reunião virtual alguns membros do Conselho da UEFA exigiram a exclusão dos times "dissidentes" da Champions League, entre eles, o Manchester City.

Na mesma nota, Ceferin ainda declarou que "era preciso coragem para admitir um erro", fazendo claras referências à criação da liga em questão.

"Como disse no Congresso da UEFA, é preciso ter coragem para admitir um erro, mas nunca duvidei que tivessem a capacidade e o bom senso para tomar essa decisão", finalizou.