Através de uma live nesta última quinta-feira, o presidente da república - Jair Bolsonaro reforçou o desejo de que os torcedores de futebol retornem aos estádios do Brasil. Lembrando que esses não recebem público há quase um ano em nosso país.

O comentário do nosso presidente veio na contramão em um dia em que o país registrou o terceiro maior número de mortes por COVID-19 em um intervalo de 24 horas - foram 1.439 óbitos registrados e 60 mil novos casos confirmados da doença, segundo as últimas informações da área da saúde.

Casos de óbitos e infectados no Brasil

Até o exato momento, 221.676 pessoas faleceram com o tal vírus e 9 milhões de pessoas foram contaminadas em nosso país, segundo o balanço realizado pelo consórcio das empresas: G1, Globo, Extra, Folha, UOL e Estadão - todos eles em parceria com 27 secretarias estaduais de saúde. A medida móvel de mortes registrada nesta última quinta-feira por COVID-19 - 1.064, sendo essa a maior desde 04 de agostos, quando esse número ficou em 1.066.

Jogos de futebol sem torcida

Os jogos de futebol no Brasil estão sem receber os torcedores aos estádios desde o início da pandemia do Coronavírus, em março de 2020. Para o jogo da final da Libertadores da América 2020, que será realizado neste sábado, no Maracanã, entre Palmeiras x Santos, a Conmebol estipulou um limite de 5 mil pessoas presente no estádio - entre credenciados, estafe, funcionários de segurança, jornalistas, dirigentes, autoridades da cidade, do Estado e do País, convidados dos patrocinadores e convidados dos clubes finalistas.

O duelo entre Palmeira e Santos poderia na verdade receber um público de até 7.800 pessoas no estádio, visto que o governador em exercício do Rio de Janeiro - Cláudio Castro publicou recentemente um decreto que libera 10% da capacidade do estádio para convidados dos clubes, patrocinadores e da Conmebol - além de colaboradores.

Quem for até o Maracanã neste sábado para acompanhar a grande final da Libertadores, terá que respeitar todas as medidas do protocolo de segurança, como apresentar exame PCR negativado e utilizar máscaras de proteção durante todo o tempo.