GP da França deixará o calendário da Fórmula 1; entenda

Acontece no próximo domingo (24), o GP da França de Fórmula 1 2022. Contudo, será o último GP da França da Fórmula 1. Já que, segundo informações da Bandeirantes, o contrato com o Circuit Paul Ricard não será renovado para os próximos anos.

Vale lembrar que a Fórmula 1 está em negociações com outros dois países para retornar ao calendário em 2023. São estes, a África do Sul e a China. Assim, enquanto o Circuito Internacional de Xangai (China) deixou o calendário graças a pandemia de COVID-19, apesar de ainda ter contrato com a maior categoria do automobilismo mundial até 2025, a África do Sul está fora do calendário da Fórmula 1 desde os anos 90.

Portanto, esta saída do GP da França do calendário da Fórmula 1 praticamente sacramenta a volta de uma dessas pistas para o itinerário da F1. Além disso, poderá abrir espaço para uma possível renovação do Circuito de Spa-Francorchamps, lar do GP da Bélgica. Já que, no calendário de 2023, serão 24 corridas. Assim, duas a mais do que em 2022.

Calendário da Fórmula 1 para 2023

Vale lembrar que vários circuitos já estão confirmados para 2023. São estes: Yas Marina, Abu DhabiJeddah, Arábia SauditaBaku, AzerbaijãoMelbourne, AustráliaSakhir, BahreinSão Paulo, BrasilMontreal, CanadáBarcelona, Espanha, Austin, Estados UnidosMiami, Estados UnidosSilverstone, InglaterraBudapeste, HungriaÍmola, ItáliaMonza, ItáliaSuzuka, JapãoCidade do México, MéxicoZandvoort, Holanda; Marina Bay, Singapura e Losail, Catar.

Além disso, a não renovação do GP da França de Fórmula 1 já era prevista por especialistas. Principalmente, por ser uma circuito confuso devido a suas linhas azuis ao redor do traçado. Além disso, o circuito não tem tanto apelo popular na Europa quanto outros que já estão no calendário, como a Inglaterra, Áustria, Holanda e Itália.

Por fim, a F1 ainda negocia renovação de contrato com o GP da Áustria, Bélgica (como já informado), e Mônaco. Assim, enquanto a renovação do GP austríaco já está quase certa. E o GP belga pode ter se garantido na F1 com a saída da França, o GP de Mônaco é ainda uma incógnita para o ano que vem.

Foto destaque: Divulgação/F1