Com a pandemia dando sinais de enfraquecimento no mundo todo, o maior evento do esporte mundial, as Olimpíadas, marcou um recomeço. Agora, outro marco nesta retomada será a realização das Paralimpíadas de Tóquio 2020, que acontece entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro, e que promete trazer alegria aos atletas brasileiros.

Assim como aconteceu com as Olimpíadas, as Paralimpíadas tiveram de ser adiadas por conta da pandemia. O evento seria realizado em 2020, mas teve de esperar um ano para ter condições minimamente seguras aos atletas e todas as pessoas envolvidas na logística e realização das atividades.

Vale lembrar que, assim como nas Olimpíadas, as Paralimpíadas não terão a presença de público nos estádios. Apenas atletas, técnicos e veículos de imprensa autorizados podem adentrar as arenas e locais das modalidades. Esta será a 2ª vez que Tóquio sedia uma Paralimpíada; a primeira foi no ano de 1964. Confira abaixo tudo sobre este grande evento do esporte mundial.

Paralimpíadas de Tóquio 2020; tudo o que você precisa saber

Modalidades

Nesta edição das Paralimpíadas, serão disputadas 22 modalidades, mesmo número de esportes que foram disputados no Rio de Janeiro no ano de 2016. Entretanto, houveram duas substituições: foram adicionados o Parataekwondo e o Parabadminton. Estas modalidades ocupam as vagas deixadas pela Vela e pelo futebol de 7.

Os organizadores do evento apontam que as modalidades removidas não possuíam alcance internacional suficiente para permanecer sendo viável sua alteração. O Brasil possui atletas presentes em 20 modalidades (apenas no basquete de cadeira de rodas e no rúgbi de cadeira de rodas, o Brasil não está representado).

As 22 modalidades em disputa nas Paraimpíadas de 2021 serão:

  • Atletismo (100m, 200m, 400m, revezamento 4x400m, 4x100m, 800m, 1500m, 5000m, salto em distância, salto em altura, salto triplo, maratona, lançamento de disco e club, lançamento de dardo e arremesso de peso);
  • Basquete em cadeira de rodas;
  • Bocha;
  • Canoagem (KL1, KL2 e KL3, do maior comprometimento de deficiência ao menor);
  • Ciclismo (convencionais, handbikes, triciclos e tandem);
  • Esgrima em cadeira de rodas;
  • Futebol de 5;
  • Goalball;
  • Hipismo;
  • Judô;
  • Levantamento de peso;
  • Natação (50m, 100m, 200m e 400m livre; 50m e 100m borboleta; 50m peito; 50m e 100m costas; 150m e 200m medley; revezamentos);
  • Parabadminton;
  • Parataekwondo;
  • Remo;
  • Rúgbi em cadeira de rodas;
  • Tênis de mesa;
  • Tênis em cadeira de rodas;
  • Tiro com arco;
  • Tiro esportivo;
  • Triatlo;
  • Volêi Sentado.

Destaques do Brasil no evento

A delegação brasileira contará em Tóquio com 260 atletas (164 homens e 96 mulheres). Esta é a maior delegação brasileira na história dos jogos paralímpicos fora do Brasil (apenas na Rio 2016 foram mais), mostrando significativa evolução do esporte nacional.

A modalidade que possui mais representantes brasileiros é o atletismo, que tem 64 atletas e 18 atletas-guia. A estimativa do CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro) é de ganhar entre 60 a 75 medalhas, ficando entre o top 10 no quadro geral. Veja abaixo os destaques nas principais modalidades.

Natação

Participando de sua última paralimpíada, o nadador Daniel Dias é uma verdadeira lenda do esporte brasileiro. Dono de nada menos que 24 medalhas (14 de ouro, 7 de prata e 3 de bronze) é um dos maiores vencedores da história do evento.

Além de Daniel Dias, Phelipe Rodrigues também busca fazer valer a sua experiência para novamente subir ao pódio. Ele é dono de 5 medalhas de prata e 2 de bronze e busca ainda seu primeiro ouro. Ainda temos dois estreantes: Gabriel Bandeira, de 21 anos, e Maria Carolina Santiago.

Atletismo

No atletismo, o Brasil conta com o homem mais rápido do mundo. Petrúcio Ferreira é recordista mundial nos 100m (10s42). Conta com uma medalha de ouro e duas medalhas de prata no Rio de Janeiro em 2016. Na mesma categoria, Washington Júnior também aparece com boas credenciais.

Futebol de 5

Este é considerado por muitos como o maior potencial de medalhas do Brasil neste evento. Em todas as 4 vezes que o esporte esteve presente, o Brasil ficou com a medalha de ouro.

Judô

O brasileiro Antônio Tenório já possui 6 medalhas (4 ouros, 1 prata e 1 bronze), mas enfrentou um ciclo bastante complicado para chegar a Tóquio, inclusive tendo 80% do pulmão comprometido em decorrência da COVID-19. Conseguiu se recuperar e também é grande esperança de medalhas.

Esgrima

Nesta modalidade, o maior destaque vai para Jovane Guissone, que foi campeão olímpico em 2012 e chega na sua 3ª paralimpíada. Além dele, Vanderson Chaves e Mônica Santos representam o país.

Bocha

O destaque brasileiro na bocha é Maciel Santos, que também conquistou o ouro em Londres, no ano de 2012. Aos 36 anos de idade, é o maior nome do país na modalidade individual.

Onde assistir as Paralimpíadas de Tóquio 2020

A edição de Tóquio das Paralimpíadas foram comprados exclusivamente pelo Grupo Globo. Com isso, a transmissão do evento será dividida entre a TV aberta, na Rede Globo, na TV fechada (4 canais do SPORTV), além da plataforma de streaming Globoplay, que transmite aos assinantes.