Melhores momentos GP da França

Aconteceu no último domingo (24), o GP da França de Fórmula 1 2022. Assim, o vencedor da corrida foi o holandês Max Verstappen, da Red Bull. Em uma corrida em que o protagonista foi o calor, Verstappen contou com um fator decisivo para sua vitória. Foi este, o erro individual de Charles Leclerc, que causou seu abandono. Em suma, este erro também proporcionou o pódio para Lewis Hamilton e George Russell, respectivamente.

Fecharam o top 10: Sergio Pérez (Red Bull), Carlos Sainz (Ferrari), Fernando Alonso (Alpine), Lando Norris (McLaren), Esteban Ocon (Alpine), Daniel Ricciardo (McLaren) e Lance Stroll (Aston Martin).

Como foi o GP da França

Largada

A saber, a largada do GP da França teve o calor como principal fator. Assim, no momento em que as luzes vermelhas se apagaram, a temperatura de pista marcava 60ºC. Na largada, Leclerc se defendeu bem dos ataques de Verstappen para manter a liderança.

Entretanto, atrás deles, Hamilton superou Sergio Pérez e assumiu a 3ª posição. Enquanto Fernando Alonso deixou Norris e Russell para trás e assumiu a 5ª posição. George Russell também superou Lando Norris.

Ainda na 1ª volta, Esteban Ocon tocou em Yuki Tsunoda, e o japonês acabou rodando. Como punição, o francês da Alpine tomou 5s de punição. Lá atrás, Kevin Magnussen e Carlos Sainz faziam uma corrida de recuperação. Já que ambos trocaram peças do motor e largaram lá atrás. Em suma, o piloto da Haas teve mais facilidade do que o espanhol da Ferrari.

Disputa pela liderança

Na 6ª volta, o primeiro ataque de Verstappen contra Leclerc após as primeiras curvas. Contudo, o monegasco conseguiu se defender. Às custas de seus pneus, que ficaram completamente deteriorados já na 7ª volta. Mesmo caso para os pneus de Verstappen.

Lá atrás, Sainz conseguia se livrar do trafego e vinha subindo cada vez  mais no grid. Então no final da 11ª volta, já passava Ricciardo e assumia a 9ª colocação.

Com os pneus dos pilotos cada vez mais desgastados, os pit stops começaram muito cedo. Entre os líderes, Verstappen parou apenas na 16ª volta. Já que Leclerc estava abrindo muita vantagem para o holandês. Verstappen parou e voltou atrás de Norris, na 7ª colocação.

Tudo mudou no GP da França

Nem Verstappen, nem Red Bull, nem mesmo a própria Ferrari contava com o que ia acontecer com Charles Leclerc. Em suma, o monegasco abria muita vantagem na liderança do GP da França, até que o inesperado aconteceu. Simplesmente, Leclerc perdeu a traseira do carro na curva 11, rodou e acertou o muro. Portanto, acabava a prova para o piloto nº 16 da Ferrari.

Com a batida sozinha de Leclerc, o safety car apareceu pela primeira vez no GP da França, o que permitiu que todos os pilotos que não haviam parado, fossem para os boxes. E na relargada, na 21ª volta, Verstappen liderava, com Hamilton em 2º e Pérez em 3º.

Fim da corrida

Assim se sucedeu a corrida praticamente até o fim: Verstappen abrindo cada vez mais vantagem em relação a Hamilton, que abria cada vez mais em relação a Sergio Pérez. Contudo, George Russell chegava cada vez mais perto do mexicano da Red Bull.

Lá atrás, Carlos Sainz teve um grande balde de água fria: Recebeu 5s de punição por ter tido seu carro liberado dos boxes de forma insegura, quase se chocando com Alexander Albon. Portanto, o espanhol cumpriu seus 5s de punição ainda durante a corrida, na sua 2ª parada nos boxes. Então, perdeu quase tudo que havia conseguido recuperar (já que estava na 4ª posição).

Enquanto isso, Russell chegava cada vez mais perto de Pérez. Para piorar a situação do mexicano, Guanyu Zhou parou na pista devido a problemas no carro, causando um safety car virtual. Assim, a pista foi liberada faltando quatro voltas para o fim, e a ultrapassagem de Russell em cima de Pérez já parecida inevitável.

Em suma, os dois carros chegaram a se tocar. Entretanto, nada que impedisse um rápido Russell de ultrapassar um sonolento Pérez, que não fez uma boa corrida. Por fim, Russell conseguiu o pódio junto com seu companheiro de equipe (Lewis Hamilton), enquanto Verstappen faturou uma vitória fácil, a 7ª do ano.

Foto Destaque: Divulgação/F1