Veja os maiores atacantes da história do Palmeiras

Atual campeão Brasileiro, tricampeão da Libertadores, além de várias conquistas estaduais, o Palmeiras tem uma história de 108 anos de vida repleta de conquistas e glórias. Dessa forma, muitos jogadores honraram e brilharam com a camisa do Verdão, inclusive alguns goleadores. Assim, confiramos os maiores atacantes da história do Palmeiras.

Os maiores atacantes da história do Palmeiras

Ademar Pantera

Após quatro anos na Prudentina, conquistando a terceira e a segunda divisões estaduais, Ademar Pantera chamou a atenção dos dirigentes Palmeirenses.

Logo em seu segundo ano no Verdão, fez um Torneio Rio-São Paulo primoroso, se sagrando campeão e artilheiro — marcou 14 vezes em 11 jogos. Apelidado de Pantera, graças ao vigor físico e ímpeto usado para romper as defesas adversárias, atuou na partida que o Palmeiras representou a Seleção Brasileira frente à Seleção Uruguaia.

Entretanto, ficou de fora da lista final para Copa do Mundo de 1966, pois estava com a perna fraturada. Após encerrar a carreira, virou figura constante nas partidas da equipe de Masters do Alviverde.

Ao todo, marcou 87 gols em 135 jogos pelo Verdão.

Heitor

Heitor iniciou a carreira como jogador de futebol no Sport Club Americano em 1916, mesmo ano em que o Palestra Itália estreou no Campeonato Paulista. Aquele Paulista, aliás, foi o único torneio que o atacante disputou com outra camisa que não a do Verdão — ele foi convidado a integrar o time Palestrino ainda naquela mesma temporada e aceitou prontamente.

Para o Palestra Itália, o garoto de 17 anos, franzino e de impecável finalização, representava a esperança de ingressar no grupo dos grandes clubes da cidade. Já para Heitor, descendente de italianos, não havia honra maior do que atuar na equipe recém-criada para representar a colônia.

Não demorou muito para o centroavante esbanjar sua invejável eficiência nos gramados. Assumiu logo de cara a posição de titular absoluto do time e se transformou em uma máquina de fazer gols, tornando-se peça imprescindível nos vice-campeonatos paulistas de 1917 e 1919 e na conquista do primeiro título do Palestra, o Campeonato Paulista de 1920, quebrando a hegemonia do então tetracampeão Paulistano.

Ao todo, Heitor marcou 323 gols com a camisa Alviverde, sendo o maior artilheiro da história do clube.

César Maluco

Nascido em Niterói (RJ) e oriundo de uma família de jogadores, César iniciou a carreira no Canto no Rio, tradicional agremiação de sua cidade natal. Aos 18 anos, transferiu-se para o Flamengo, pelo qual se sagrou campeão carioca em 1965 e vice em 1966.

Na temporada seguinte, foi emprestado ao Palmeiras como contrapeso da negociação de Ademar Pantera com o time Rubro-Negro.

Sua chegada ao Palestra Itália causou enorme impacto. Com 33 gols em 49 duelos, foi o goleador da equipe em 1967 e um dos protagonistas da equipe duas vezes campeã nacional naquele ano. Aguerrido e letal nas finalizações, o centroavante balançou a rede tanto na partida do título do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, contra o Grêmio (2 a 1, dois gols de César), quanto na finalíssima da Taça Brasil, diante do Náutico (2 a 0, gols de César e Ademir da Guia).

Contratado em definitivo pelo Verdão em julho de 1968, após rápido retorno ao Flamengo, voltou a ser decisivo em 1969, ao anotar um dos tentos do triunfo sobre o Botafogo por 3 a 1, resultado que assegurou ao clube mais um título brasileiro.

Ao todo, César Maluco é o segundo maior artilheiro da história do Palmeiras com 182 gols, em 327 partidas disputadas.

Evair

Evair, o Matador, ganhou este apelido pelo seu faro de gol. Era um atacante clássico, de passadas elegantes e excelente visão de jogo. Em 1993, fez dois gols na vitória Palmeirense sobre o rival Corinthians por 4 a 0, na final do Campeonato Paulista, e ficou marcado como principal símbolo da quebra do jejum Alviverde de 16 anos sem conquistas.

Em 1999, no jogo da final da Libertadores da América, Evair fez jus ao apelido e balançou a rede do Deportivo Cali-COL, garantindo a disputa do título nos pênaltis.

Evair conquistou seis títulos com a camisa do Palmeiras: Campeonato Paulista em 1993 e 1994; Torneio Rio-São Paulo em 1993; Campeonato Brasileiro em 1993 e 1994; Copa Libertadores da América em 1999

Em suma, o ex-atacante do Verdão é o oitavo maior artilheiro da história do clube, com 126 gols, além de 245 jogos disputados.

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.