Veja os maiores atacantes da história do Athletico-PR

Athletico-PR é uma das maiores equipes do futebol brasileiro. Com muitos títulos estaduais, nacionais e internacionais, o Furacão é sem dúvidas um dos principais clubes neste século no futebol sul-americano, com direito a grandes times e diversos goleadores neles. Portanto, listamos os maiores atacantes da história do Athletico-PR.

Vale ressaltar que o clube paranaense tem em sua grande história muitos títulos importantes: Campeonato Paranaense (27), Brasileirão Série B (1), Copa Sul-Americana (2), Copa do Brasil (1) e Brasileirão (1).

Os maiores atacantes da história do Athletico-PR

Jackson

Como não bastasse ser um dos históricos ídolos do Athletico Paranaense, Jackson ainda nasceu no mesmo ano de fundação do clube, em 1924. Vinte anos mais tarde, ele estaria dando seus primeiros chutes como profissional, ainda como um meia.

Pouco depois seria mais avançado, formando histórica dupla de ataque com Cireno. Parceria essa que resultou em dois títulos paranaenses — 1945 e 1949 — além da alcunha de Furacão para o clube, nesta última conquista.

Dois anos depois de seu último título, Jackson assinaria com o SC Corinthians para retornar ao Furacão no ano de 1952. Em sua volta, o jogador não perdeu o faro de gol que o marcou, sendo o artilheiro do Campeonato Paranaense no ano de 1953, com 21 gols.

Jackson encerrou a carreira no Athletico em 1956, com apenas 32 anos, por conta de problemas físicos assim como seu parceiro, Cireno.

Porém, mesmo em uma curta carreira, o jogador teve tempo suficiente para se tornar o segundo maior artilheiro na história do clube, com 143 gols.

Cireno

Cireno chegou ao Furacão em 1942 e ajudou ao clube Rubro-Negro a receber tal alcunha após conquistar três títulos paranaenses entre os anos de 1943, 1945 e 1949.

E foi como um furacão que ele se destacaria com muita maestria no clube, inclusive chegando a ser pré-convocado pela Seleção Brasileira para a Copa do Mundo de 1950. Naquela que seria um dos momentos mais tristes na história do mundial.

O jogador permaneceu no Athletico Paranaense até 1952, justamente no ano em que se aposentaria do futebol. Tinha apenas 30 anos, mas já convivia com constantes lesões que dificultavam de continuar.

Em 10 anos de Furacão, além de colecionar títulos e polêmicas, o atacante também fez história ao balançar as redes em 112 oportunidades com a camisa athleticana.

É até hoje o quinto maior artilheiro na história do clube.

Assis e Washington — Início do Casal 20

Famosa dupla de ataque eternamente conhecida como Casal 20, a carreira de Washington e Assis se confundem. Os dois chegaram ao Athletico PR vindo do SC Internacional na temporada de 1982. Já na primeira temporada faturaram o Campeonato Paranaense de 1982, assim como o inédito terceiro lugar do Campeonato Brasileiro do mesmo ano.

Os dois deixariam o Furacão em 1983 para continuar esta parceria, agora no Fluminense FC, onde seriam campeões brasileiros.

Assis retornaria 1988 ao Rubro-Negro para uma breve passagem, mas sem sucesso, assim como em 1991, na sua terceira e última passagem pelo clube.

Washington retornaria apenas em 1991, mas sem a mesma condição técnica de antigamente. O típico atacante de área atuou em 45 jogos oficiais, com a impressionante marca de 42 gols.

Paulo Rink

Revelado nas categorias de base do Athlético Paranaense, Paulo Rink atuaria por sete anos no clube, entre muitas idas e vindas ao Furacão.

O jogador foi emprestado pelo Furacão em três oportunidades para equipes como Atlético Mineiro e Chapecoense. 

Contudo, nesse meio tempo, Paulo Rink conquistaria o Campeonato Brasileiro da Série B de 1995, e no ano seguinte ainda faria parte da brilhante campanha do Athletico, que disputou as oitavas de finais da Série A do Brasileirão.

Atacante de muita habilidade e precisão nas finalizações, Paulo Rink anotou 80 gols com a camisa do clube, se tornando o sétimo maior artilheiro da história da equipe.

Ali formaria também uma histórica dupla de ataque ao lado de Oséas. Em 1998, foi contratado pelo Bayer Leverkusen e agradou tanto os alemães que se naturalizaria para atuar na Seleção da Alemanha.

Seu retorno ao Athletico se deu em 2007, apenas para se aposentar, em uma breve passagem.

Alex Mineiro

Alexander Pereira Cardoso, ou simplesmente Alex Mineiro, chegou ao Athletico Paranaense no início de 2001. Revelado pelo América Mineiro em 1995, o atacante, conhecido por ser um exímio matador na área, passou por equipes como Cruzeiro EC, Vitória/BA, Bahia/BA e Ceará, até chegar ao Furacão.

Na fase final do Brasileirão de 2001, Alex Mineiro marcou oito gols ao longo de quatro partidas, sendo decisivo na parte final da competição. Nas quartas de finais, por exemplo, o atacante anotou um contra o São Paulo FC, e já na semifinal anotou mais três gols diante do Fluminense.

Porém, seu brilho maior aconteceu na grande decisão, contra o São Caetano, ao marcar três gols no primeiro jogo na Arena da Baixada e ao anotar mais um gol na volta, em pleno Anacleto Campanela. No fim da competição, ele acabou sendo o artilheiro, com 17 gols, ao lado de seu companheiro de ataque, Kleber Pereira.

Com tamanho sucesso na competição, Alex Mineiro foi eleito o Bola de Ouro, prêmio concedido pela Revista Placar.

Permaneceu no Furacão até 2003 e teve mais duas breves passagens pelo clube, em 2007 e 2009. No total de três passagens, o jogador se tornou um dos ídolos recentes do Athletico Paranaense, atuando em 131 partidas com 65 gols anotados.

Washington

Como em toda boa equipe, aquela fantástica geração do Athletico Paranaense de 2004 não poderia ficar sem o seu artilheiro.

Na ocasião, quem assumiu esse papel foi Washington, que chegou ao clube em 2003, após se destacar na Ponte Preta. No Rubro-Negro, o Coração Valente — apelido que recebera após problemas cardíacos — teve breve, mas icônica passagem que conquistou os torcedores athleticanos.

Em apenas uma temporada no Athletico Paranaense, Washington foi artilheiro ao marcar os impressionantes 34 gols em 38 jogos na campanha do vice-campeonato brasileiro de 2004.

Por conta disso, ele deixou a equipe pouco depois, no início de 2005, após acertar com o Tokyo Verdy do Japão.

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.