De volta a Fórmula 1 no ano de 2015, pela McLaren, a Honda de fato voltou a competir para vencer somente a partir de 2019, quando fechou parceria com a Red Bull e a Toro Rosso - atual Alpha Tauri.

No mesmo ano que anuncia a sua retirada da mais importante competição de automobilismo mundial, a empresa japonesa fabricante de motores leva a consagração com o título mundial obtido por Max Verstappen.

Equipando os caros da Red Bull, a Honda alcançou 16 vitórias, sendo a última em Abu Dhabi, na mesma prova que levou Verstappen ao título mundial de F1.

Em entrevista ao site Autosport, o diretor-técnico da Honda F1 - Toyoharu Tanabe falou sobre os feitos alcançados nesta temporada e da parceria com a Red Bull Racing.

"A conquista do título mundial do Max é um feito enorme para nós, pois estamos no esporte desde 2015 e foi um difícil período para nós, gradualmente evoluindo por sete anos. No ano passado, ficamos bem atrás da Mercedes, mas estou feliz que chegamos tão longe este ano, brigando nos campeonatos de Pilotos e Construtores", destacou Tanabe.

Vale lembrar que Max Verstappen conquistou o primeiro título dele e da Honda desde que essa retornou a principal categoria do automobilismo mundial, onde o diretor-técnico da marca japonesa conclui dizendo:

"Infelizmente não alcançamos o título de construtores, mas acredito ter razões para termos chegado tão longe, uma vez que acreditamos em nossa tecnologia e fomos determinados em fazer o necessário para vencer. Trabalhamos de maneira incansável para desenvolver nossa tecnologia. Tivemos apoios de nosso grupo de operações, de viagens e nossas famílias, que nos ajudaram a alcançar esse feito" finalizou o dirigente.

Honda seguirá colaborando com a RBR

Mesmo tendo confirmado sua saída ao final da temporada 2021, a Honda seguirá colaborando com a Red Bull no desenvolvimento dos novos motores que equiparão os caros a partir de 2022; isso como parte do processo de transição que irá resultar na nova divisão da marca austríaca, com a Red Bull Powertrains.