Na penúltima colocação da Série A do Brasileirão 2021, você saberia me dizer como o Grêmio foi de multicampeão nos últimos anos a possível candidato ao rebaixamento.

Com um futebol vistoso em 2017, donde sagrou-se tri-campeão da Libertadores sob o comando de Renato Portaluppi, a 25 de outubro de 2021, diante do Atlético-GO, no Estádio Antonio Accioly, em Goiânia, onde após um primeiro tempo bom, ao fracasso na segunda etapa.

Essa é a trajetória tricolor até aqui; claro que resta ao Grêmio alguma esperança de não ser rebaixado a Série B, uma vez que ainda tem em jogo 39 pontos, onde desses, o time hoje comandado por Vagner Mancini terá que somar pelo menos 20 para não marcar a sua terceira passagem pela segunda divisão do futebol nacional.

Embora pareça fácil chegar a esse número, lembramos que o Tricolor está a sete jogos sem vencer na Série A.

Sob a mesma administração

Se analisarmos os dois cenários, é difícil dizer que o Grêmio segue sob a mesma gestão, onde o tricolor segue o caminho inverso do senso comum do futebol nacional.

Com um financeiro absolutamente estável e com superávit, apesar dos percaustos durante a pandemia, é incompreensível entender como o time campeão da América de 2017 e campeão de diversos outros torneios depois desse, chegou praticamente ao fundo do poço em 2021.

Saída de Renato Portaluppi

A quem diga que a saída de Renato Portaluppi influenciou e muito dentro do vestiário, visto a sua identificação e sua ideia de jogo, no entanto, com o passar dos anos, o treinador começou a ter seu trabalho questionado, até o Grêmio cair precocemente da Libertadores e ver o ídolo ser demitido logo a seguir.

Tiago Nunes e Felipão

Veio Tiago Nunes, que chegou a conquistar o título gaúcho, emendando bons resultados antes desta conquista; pois depois desta, o time caiu de rendimento, fazendo com que o treinador fosse assim demitido.

Fenômeno semelhante ocorrido com Felipão, onde sem horizonte, fizeram a gestão resistir ao ímpeto do costume de demitir a figura do treinador.

Chegada de Vagner Mancini

Com a realidade do Z4, chegou Vagner Mancini, que tenta reencontrar a identidade perdida do Grêmio, se utilizando de figuras carimbadas como Diego Souza, Rafinha, Douglas Costa e Kannemann.

Porém, sem poder de reação, com constantes saídas atrás do placar, formou-se a receita do insucesso, que culmina com uma campanha de alto risco de rebaixamento.

Nova chance gremista

Agora, buscando uma nova realidade que só poderá ganhar forças com vitórias, essa poderá iniciar neste domingo (31), diante do Palmeiras, na Arena, a partir das 16h (de Brasília), onde o Grêmio terá nova chance de deixar a zona de rebaixamento, uma vez que está ainda encontra-se a seu alcance; veremos!