Atlético-MG emite nota de repúdio por brincadeira do Mineirão para Pavón

Atlético-MG emite nota de repúdio na tarde desta segunda-feira (4), contra a brincadeira feita pelo perfil oficial do Mineirão sobre o anúncio da contratação de Cristian Pavón. Assim, o clube alegou que o estádio “ultrapassou o limite do bom senso e faltou com o respeito ao jogador e à instituição”. 

nesta segunda-feira (4), pouco depois do clube anunciar o argentino ex-Boca Juniors, a página fez referência a um episódio que ocorreu em 2021. Assim, o jogador envolvido em uma briga, jogou um dos bebedouros do estádio de Belo Horizonte em direção a seguranças. 

Confira a nota de repúdio emitida pelo Atlético-MG em caso Pavón:

“O Galo demonstra sua indignação com a postagem do perfil do Mineirão nas suas redes sociais, logo após o anúncio do atacante Pavón, feito ontem pelo Atlético.

É inaceitável que o Mineirão se preste a papel como esse, diante de uma grande contratação para o futebol brasileiro, e que irá valorizar os espetáculos, inclusive no próprio Mineirão.

O perfil do estádio ultrapassou o limite do bom senso e faltou com o respeito ao jogador e à nossa instituição.

O Mineirão deveria focar suas energias em prestar melhor serviço para os torcedores, dentro e fora do estádio; cuidar do estado do gramado; trabalhar junto às autoridades no sentido de buscar soluções para o trânsito caótico; e preocupar-se em rever os altos custos que os clubes têm para lá atuar, ao invés de buscar engajamento a qualquer preço, com postagens ofensivas e desrespeitosas, que só fazem desvalorizar o futebol mineiro”.

Entenda como aconteceu o caso

Assim, o novo reforço do Atlético, Pavón e outros jogadores do Boca Juniors protagonizaram uma confusão generalizada no acesso aos vestiários do Mineirão. Isso ocorreu logo após a eliminação diante do próprio Galo na Copa Libertadores da América de 2021.

Com isso, durante o tumulto, atletas do time argentino – entre eles, Pavón – foram flagrados jogando bebedouros dos corredores em direção aos seguranças. Antes de mais nada, antecedendo a confusão, a delegação xeneize passou a noite após o empate em uma delegacia, em Belo Horizonte, sendo liberada apenas na manhã do dia seguinte.

Por isso, a Conmebol aplicou punições severas a jogadores e dirigentes do Boca Juniors. Entre os atletas, os atacantes Pavón e Villa foram os mais penalizados. Cada um recebeu suspensão de seis partidas da Libertadores.

O novo jogador do Atlético, inesperadamente, portanto, só pode atuar pelo clube mineiro em duas competições no ano: Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.

Para jogar no torneio mata-mata, Pavón torce pelo avanço do Galo diante do Flamengo nas oitavas de final. Assim, no dia 13 de julho, já que só poderá ser registrado, depois de regularizado. 

Fora da lista de inscritos do Boca para a Libertadores de 2022. Pavón ainda precisa cumprir os seis jogos de suspensão no torneio continental. O estafe do atleta tenta recorrer da pena imposta pela Conmebol.  No entanto, as chances de sucesso são baixas.

Foto Destaque: Divulgação/Estádio do Mineirão

Possui graduação em Jornalismo pela Universidade Estadual de Londrina (2021). O tema análise de pesquisa do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) envolve aspectos de inovação na comunicação que se [...]