Retornando ao Internacional para seus últimos meses como jogador de futebol profissional, onde assinou contrato por apenas quatro meses, ou seja, somente até o final do Gauchão 2022, D’Alessandro - 41 anos ainda espera fechar sua história no Colorado em grande estilo, onde acredita poder se despedir diante de seus torcedores com uma taça.

Sem vencer desde 2016 o estadual, o Inter e D’Ale esperam que 2022 possa encerrar com esse jejum de títulos no Beira-Rio, mesmo que esse seja apenas o Campeonato Gaúcho, onde nos últimos anos o Colorado viu seu arquirrival tomar conta das conquistas no estado, onde venceu o torneio por quatro anos consecutivos.

Agora com o Grêmio jogando a Série B do Brasileirão em 2022, o Inter espera poder recuperar o domínio no Rio Grande do Sul sob o comanda de um velho conhecido de seus torcedores.

Apresentação de Wesley Moraes no Inter

O centroavante já convocado por Tite para a disputa de dois jogos amistosos em 2019, diante da Argentina e Coreia do Sul, é o mais novo reforço apresentado no Beira-Rio, onde esse terá a honra de vestir a camisa 9, que já foi de Fernandão.

Nesta segunda-feira - 10 de janeiro, o centroavante de 1,91m em sua apresentação oficial destacou o seguinte:

"Espero fazer um grande trabalho no Inter para voltar a Seleção Brasileira. Passei oito anos na Europa, tive grande experiência, joguei a Champions League, e espero fazer um grande trabalho agora no Brasil".

Vale salientar que embora brasileiro, Wesley Moraes jamais atuou no futebol nacional como jogador profissional, fazendo toda a sua carreira na Europa; pelo menos até aqui.

Ainda em sua apresentação, o camisa 9 colorado revelou:

"Me sinto honrado em vestir a camisa 9 do Inter. Uma camisa de peso, que tem história no Inter, camisa do Fernandão. Estou 100%. Venho para ajudar o time, focado a ajudar muito dentro de campo", finalizou ele.

O Colorado se reapresenta nesta terça-feira - 11 de janeiro para o início da temporada 2022, onde até aqui a direção do Inter anunciou apenas dois reforços - Wesley Moraes e Liziero, além claro, do retorno de D’Alessandro, que já é praticamente patrimônio do clube e não pode ser destacado como reforço, visto que vêm apenas para finalizar sua carreira brilhante.