Longe de ser unanimidade a frente da Seleção Brasileira, a CBF pode estar traçando uma armadilha para tirá-lo do comando técnico desta; confira.

Dividindo opiniões quanto ao seu trabalho desempenhado na Seleção, Tite tem quem o defenda e aqueles que o querem ver longe do comando técnico do Brasil.

Porém, dentro da CBF nem sempre é o futebol que fala mais alto, mas sim o poder das opiniões, das quais não respeitam muito as regras estabelecidas dentro da entidade e neste quesito Tite é um dos principais alvos atualmente.

Mesmo com saldo positivo até o momento a frente da Seleção, o técnico aqui em questão vem sendo muito ameaçado de perder seu emprego, aonde há poucos dias isso veio se intensificando, com o processo de "fritura" de Tite dento da Confederação, principalmente por Marco Polo Del Nero, que mesmo banido do futebol pela FIFA, ainda assim tem voz ativa dentro da CBF.

De acordo com investigação do site "Terra", Del Nero teria indicado Gustavo Feijó ao cargo de dirigente das seleções masculina, feminina e olímpica, sendo assim uma espécie de braço direito do ex-presidente da CBF aqui já nominado.

Diretamente de seu apartamento, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, Del Nero estaria determinando todos os passos que devem ser tomados pelo presidente interino - Coronel Antônio Nunes, que substitui Rogério Caboclo, afastado sob suspeita de assédio sexual a uma funcionária da entidade.

Com Tite fora da seleção, o dirigente atualmente banido pela FIFA mandaria um recado a todos envolvidos no meio do futebol e ao governo, donde "banido, bane tu, bani vós, mas eu continuo".

Seleção dentro de campo

Assim sendo, esperamos para ver até onde essa história será verdadeira, lembrando que a nossa seleção volta a campo no próximo mês, em mais três confrontos válidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, com dois jogos no Brasil e um fora.