“Não sei de onde veio”, réu da operação Penalidade Máxima alega desconhecer origem de dinheiro

Em 9 de maio, a Justiça de Goiás tornou Igor Cariús réu na operação Penalidade Máxima, processo que investiga manipulação de jogos no Brasileirão de 2022, tanto na Série A, quanto na Série B. Na temporada passada, o jogador ainda atuava pelo Cuiabá.

Em sua defesa, o advogado do lateral, Ademar Regueira, alega que o atleta não sabe da origem do valor de R$ 5 mil. Para o Ministério Público, a transferência bancária desse montante foi pagamento por receber um cartão amarelo no jogo Ceará x Cuiabá, em 16 de outubro do ano passado.

Em entrevista ao ge, o representante do lateral disse que essa quantia poderia ser “patrocínio ou utilização de material esportivo”. No entanto, o Tribunal de Justiça de Goiás negou o pedido da defesa, em decisão publicada pelo desembargador Roberto Horácio Rezende.

Com isso, Cariús segue sendo desfalques para o Sport. Durante a semana, o STJD notificou os clubes que jogadores investigados na operação Penalidade Máxima II deveriam cumprir suspensão preventiva de 30 dias.

Ao todo, o jogador deve desfalcar a equipe em oito partidas. Sendo elas: contra o São Paulo, nos dois jogos da Copa do Brasil, contra Botafogo-SP, Criciúma, ABC, Londrina, Avaí e Ponte Preta, todos pelo Brasileirão Série B. O lateral, que continua se declarando inocente, era titular no Leão.

Outros jogadores suspensos pela operação Penalidade Máxima

Já na segunda-feira (15), houve o pedido, pela Procuradoria-Geral do STJD, de que oito dos jogadores que possuem seus nomes envolvidos em esquemas de apostas no Brasileirão fossem suspensos. O pedido foi julgado pelo presidente do Tribunal Desportivo, Otávio Noronha.

Na terça-feira (16), o presidente determinou a suspensão preventiva de todos os atletas com nomes no pedido da Procuradoria. Todos ficam afastados por 30 dias, se considerados culpados, depois do julgamento, a suspensão pode ser de 180 a 720 dias.

São os jogadores:

  • Eduardo Bauermann, do Santos
  • Fernando Neto, ex-Operário, hoje atua pelo São Bernado
  • Gabriel Ferreira Neris, ex-Juventude, hoje atua pelo Ypiranga
  • Igor Cariús, ex-Cuiabá, hoje atua pelo Sport
  • Kevin Lomónaco, do Bragantino
  • Matheus Phillipe, ex-Sergipe, hoje atua pelo Ipatinga-MG
  • Onitlasi Moraes, ex-Juventude, hoje atua pela Aparecidense
  • Paulo Miranda, ex-Juventude, hoje atua pelo Náutico
Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.