Mercedes fora da Fórmula 1? De acordo com as últimas informações, isso é bem possível, podendo ocorrer já a partir de 2022 (de forma oficial).

Segundo as últimas indicações, a Daimler - companhia que é proprietária da Mercedes teria revelado em um relatório recente, que deverá vender sua parte acionária da equipe, com isso devendo deixar a categoria.

Tal relatório fora divulgado nesta quarta-feira - 19 de maio, onde o mesmo deixa em dúvida como será a continuidade da Mercedes na Fórmula 1.

"Nós assumimos o compromisso de sair no primeiro semestre de 2021 e, após isso, esperamos que a Daimler não terá mais o controle da equipe da Fórmula 1", destacou a equipe.

Na temporada passada, a Daimler já havia repartido o controle acionário da equipe, dividindo a mesma de forma igualitária em três partes de 33,3% para cada um. Ficando entre o chefe de equipe - Toto Wolf, a Ineos e a Petroquímica Inglesa.

Se essa informação se confirmar, não se sabe se o nome da equipe se manterá o mesmo, uma vez que a Mercedes não será mais a marca dominante dentro da escuderia. As demais equipes que recebem os motores Mercedes, não sofrerão quaisquer mudanças por conta desta decisão.

A Mercedes tem equipe de fábrica na F1 desde 2010, quando assumiu a Brawn; antes disso estava presente no grid de largada apenas como fornecedora de motores para as equipes. "ERA" essa marcada pela parceria com a Mercedes, entre os anos de 1995 a 2014.

RedBull e Honda

Assim como pode ocorrer com a Mercedes, a RedBull Racing anunciou nesta semana a contratação de seis engenheiros que ficarão responsáveis pelo desenvolvimento dos motores Honda, já a partir da próxima temporada, visto que a marca japonesa será outra a deixar a categoria mais famosa do automobilismo.