Veja os maiores zagueiros da história do Santos

Campeão da Libertadores em três oportunidades, tendo dois títulos Mundiais, além de oito conquistas do Campeonato Brasileiro, o Santos é caracterizado por muitos amantes do futebol como o maior clube do Brasil. Sem falar dos muitos craques que vestiram a camisa do Peixe, entre eles Giovanni, Neymar e o maior de todos: o eterno Rei Pelé. Portanto, confiramos os maiores zagueiros da história do Santos.

Os maiores zagueiros da história do Santos

Mauro

Capitão da Copa de 1962, Mauro defendeu o Santos entre 1960 e 1967, formando com Calvet a maior dupla de zaga da história do Peixe.

Muito técnico, Mauro foi fundamental nos títulos da Libertadores e do Mundial da década de 1960. Fez 352 jogos com a camisa do Peixe.

Ramos Delgado

O argentino chegou ao Santos em 1967 e jogou 321 jogos até 1970. Muita raça e jogo firme fizeram Ramos Delgado tomar conta da defesa santista. Conquistou três Paulistas, um Brasileiro e duas Recopas.

Alex

Simplesmente o maior zagueiro artilheiro da história do Santos. Com 20 gols em apenas 103 jogos com a camisa alvinegra, Alex deixou seu nome marcado na história. E a vocação ofensiva era a parte menos vistosa de seu futebol. O zagueiro se impunha pela força, velocidade e técnica. Não era incomum ver Alex driblando atacantes adversários na saída de bola.

Ao lado de André Luis formou as Torres Gêmeas, parte importante do time no histórico título que tirou o Peixe da fila de 18 anos com a conquista do Brasileirão de 2002.

Edu Dracena

Eduardo Luís Abonízio de Souza, o saudoso Edu Dracena, nasceu em 18 de maio de 1981, na cidade de Dracena, no interior do Estado, daí o apelido que o consagrou. Estreou com o manto santista em 29 de novembro de 2009, mas foi a partir do ano de 2010 no qual o defensor colocou o seu nome na história santista.

O Santos conquistou dois títulos em 2010, feito inédito em 41 anos. No título Paulista, Edu Dracena foi eleito um dos melhores zagueiros da competição. Na conquista da Copa do Brasil, foi autor do gol decisivo na última partida — derrota por 2 a 1, no Barradão, diante do Vitória.

Suas ótimas atuações fizeram com que integrasse a seleção do Paulistão por três anos seguidos: 2010, 2011 e 2012. Nelas todas, sagrou-se campeão. Na conquista da Libertadores de 2011, foi decisivo marcando o único gol da vitória sobre o Cerro Porteño, na primeira partida da semifinal. 

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.