As 5 maiores vitórias da história do Bahia

O Bahia tem em sua história muitas vitórias importantes, que lhe renderam títulos e marcas incríveis. Vamos citar aqui as cinco maiores vitórias do Tricolor da Boa Terra.

O Bahia tem em sua história muitas vitórias importantes, que lhe renderam títulos e marcas incríveis. Vamos citar aqui as cinco maiores vitórias do Tricolor da Boa Terra. A final do Campeonato Brasileiro de 1959 ficou marcada por três grandes partidas entre Bahia e Santos.

O título veio no Maracanã no terceiro jogo, na segunda partida na Fonte Nova, o Santos de Pelé vencia e forçava o terceiro jogo, mas o grande jogo foi a primeira partida, na Vila Belmiro, que terminou com triunfo baiano por 3 x 2 e é até hoje a maior vitória da história do Bahêa.

Outras vitórias entram para o hall de maiores da história do Esporte Clube Bahia, como o primeiro jogo da final do Brasileirão Série A de 1988, também a partida contra o Vitória que decidiu a Copa do Nordeste de 2002.

Mais dois jogos entram nessa lista, mais uma vitória sobre o Vitória, dessa vez pelo Campeonato Baiano de 1981, com dois gols relâmpago de Osni e Gilson Gênio e o empate com sabor de vitória também contra o maior rival pelo torneio estadual de 1994, no jogo com maior público da história da Fonte Nova e do clássico. O gol de Raudinei no final da partida deu o título ao Esquadrão de Aço.

Veja as 5 maiores vitórias da história do
As 5 maiores vitórias da história do Bahia

EC Bahia

5º- Bahia 1  x 1  Vitória (Campeonato Baiano 1994)

No dia sete de agosto de 1994 na Fonte Nova em Salvador, as equipes entraram em campo para a decisão do Campeonato Baiano daquele ano. A partida é o maior público da história do clássico Ba-Vi e marcou o título estadual no finalzinho da partida.

O Leão da Barra era o atual vice-campeão brasileiro em uma excelente campanha no ano de 1993, já no Campeonato Baiano de 1994, em um torneio longo, foram 11 clássicos com cinco triunfos para cada lado e um empate. Chegaram no triangular final Camaçari que venceu o primeiro turno, Vitória que venceu o segundo turno e o Bahia que venceu os outros dois.

Na partida decisiva, o Tricolor de Aço jogava pelo empate, mas Dão abriu o placar para o Rubro-Negro Baiano e o placar ficou assim até os 44 minutos da segunda etapa, quando Raudinei empatou a partida e deu o título ao Bahia. O empate teve gostinho de triunfo e por isso entra na nossa lista.

4º- Bahia 2 x 1 Vitória (Campeonato Baiano 1981)

No dia 29 de novembro de 1981 na Fonte Nova em Salvador, as equipes entraram em campo para disputar a final do Campeonato Baiano do mesmo ano. A partida que consagrou o Bahia mais uma vez campeão estadual ficou marcada pela virada do Esquadrão de Aço em apenas dois minutos no início do segundo tempo.

O Vitória terminou o primeiro tempo vencendo por 1 x 0 com gol de César mas no início do segundo tempo, o Bahia virou com dois gols, o primeiro aos sete minutos com Osni e o segundo aos oito com Gilson Gênio. O técnico da equipe era a lenda Aymoré Moreira que conquistou a Copa do Mundo com a Seleção Brasileira em 1962.

3°- Bahia 3 x 1 Vitória (Copa do Nordeste 2002)

No dia cinco de maio de 2002 na Fonte Nova em Salvador, as equipes entraram em campo pela primeira partida da final da Copa do Nordeste daquele ano. A partida terminou 3 x 1 para o Bahia que empataria no segundo jogo para ficar com o título regional em cima do rival.

Os gols do jogo foram marcados por Sérgio Alves, Nonato e Róbson para o Tricolor da Boa Terra e Samir fez o gol do Rubro-Negro Baiano. Em 1997 e 1999, o Vitória havia conquistado o torneio em cima do Bahia na final, portanto em 2002 foi a revanche do Tricolor de Aço.

O técnico do campeão era o ídolo Bobô e a equipe contava com Nonato, Robson, Ramalho e Preto, enquanto do lado da equipe vice-campeã tinha Índio, Allan Dellon e Aristizábal, comandados por Arthuzinho.

2°- Bahia 2 x 1 Internacional (Campeonato Brasileiro 1988)

No dia 15 de fevereiro de 1989 no Estádio da Fonte Nova, as equipes entraram em campo pela primeira partida da final do Campeonato Brasileiro do ano anterior. A partida ficou marcada pelos dois gols de Bobô que deram a vitória e a vantagem para o jogo de volta, que terminaria 0 x 0, dando ao Bahia seu segundo título nacional.

A partida colocou frente a frente dois grandes treinadores da história do futebol brasileiro, pelo Esquadrão de Aço o técnico era Evaristo de Macedo e pelo Colorado o técnico era Abel Braga em começo de carreira na nova função. Estilos de jogo diferentes que marcaram a carreira dos dois técnicos, um mais ofensivo e outro mais defensivo.

O Bahia contava com alguns nomes importantes na equipe: Ronaldo, Tarantini, Marquinhos, Zé Carlos, Charles e Bobô. Enquanto do lado do Internacional estavam outros grandes jogadores como: Taffarel, Luís Carlos Winck, Diego Aguirre, Aguirregaray e Maurício.

1°- Santos 2 x 3 Bahia (Campeonato Brasileiro 1959)

No dia dez de dezembro de 1959 na Vila Belmiro em Santos, as equipes entraram em campo pelo primeiro jogo da final do Campeonato Brasileiro do mesmo ano ou como era conhecido na época: Taça Brasil. O Santos de Pelé era o grande time do país e a vitória é a mais importante da história do Bahia.

Esse jogo terminou 3 x 2 para o Tricolor de Aço com gols de Biriba e Alencar (2) e Pelé e Pepe fazendo os gols dos mandantes. A grande vitória do Bahia no primeiro jogo fez o Santos entrar pressionado na segunda partida na Fonte Nova e mesmo assim vencer por 2 x 0 forçando o terceiro jogo que só aconteceu no ano seguinte no Maracanã e terminou com vitória baiana e o título a caminho de Salvador.

O Bahêa tinha Vicente, Nadinho, Alencar, Flávio, Biriba e Léo, esse último artilheiro do torneio. Já o famoso Santos tinha Pelé, Pepe, Zito, Manga, Jair da Rosa Pinto, Coutinho e Dorval, comandados pelo técnico Lula. Do lado baiano o treinador era Geninho que foi ídolo do Botafogo nas décadas de 1940 e 1950.

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.