Veja os maiores atacantes da história do Cruzeiro

Cruzeiro é uma das maiores equipes do futebol brasileiro, sul-americano e mundial. Com uma trajetória de 102 anos de vida e com mais de 8 milhões de torcedores espalhados pelo país, o Time do Povo teve diversos goleadores que fizeram sucesso com a camisa Cruzeirense. Portanto, vamos trazer aqui os maiores atacantes da história do Cruzeiro.

Vale ressaltar que a Raposa tem em sua gigantesca história e muitos títulos importantes: Campeonato Mineiro (38), Libertadores (2) Copa do Brasil (6) e Brasileirão (4).

Os maiores atacantes da história do Cruzeiro

Marcelos Ramos

Marcelo Ramos teve três passagens pelo Cruzeiro, 1995 – 1996, 1997 – 2000 e 2001 – 2003. As duas últimas, com certeza, foram as que tiveram maior destaque.

Centroavante de ofício, com ótimo faro de artilheiro, o ídolo Cruzeirense foi fundamental na conquista da Libertadores de 1997. Além disso, teve participação importante em diversas conquistas: Campeonato Mineiro (1996, 1997, 1998 e 2003), Copa do Brasil (1996 e 2003), Campeonato Brasileiro (2003).

No total, foram 365 jogos disputados pelo Cruzeiro e 162 gols marcados, sendo o 6° maior artilheiro da história do clube.

Joãozinho

Formado nas categorias de base do clube, Joãozinho teve uma carreira bastante vitoriosa. Notável pela sua habilidade, dribles e arrancadas, o atacante também ficou marcado pelos gols decisivos.

Foi dos pés dele que saiu o gol que definiu o título da Libertadores da América em 1976, primeiro da história do clube.

Outro detalhe é que o atacante teve participação importante nas conquistas de cinco edições do Campeonato Mineiro (1973, 1974, 1975, 1977 e 1984).

Ao todo, foram 485 jogos disputados com a camisa Celeste, número que o torna o 9° jogador com mais partidas pela Raposa.

Além disso, Marcelo marcou 118 gols, também sendo o 9° maior artilheiro na história do clube. 

Marcelo Moreno

No começo de 2007, Marcelo Moreno desembarcou em Belo Horizonte para assinar com o Cruzeiro, quando foi negociado a um grupo de empresários espanhóis, que adquiriu 90% dos direito econômicos do atleta por US$ 400 mil e repassou 40%, sem ônus ao Cruzeiro, assinando contrato de cinco anos pelo clube. 

Seu primeiro gol com a camisa Celeste foi na vitória de 4 a 2 contra o Fluminense, no Mineirão, em 19 de agosto de 2007.

Foi um dos artilheiros da Copa Libertadores da América de 2008 com 8 gols marcados na edição, formando boa dupla de ataque com Guilherme no primeiro semestre do ano. Ainda conquistou o Campeonato Mineiro daquele ano, tendo como ponto alto o 5 a 0 do primeiro jogo da decisão contra o rival Atlético-MG, onde Moreno marcou o primeiro gol da partida.

Apesar da primeira passagem no clube ter sido rápida com apenas 36 jogos, Marcelo Moreno desenvolveu uma profunda identificação com o torcedor cruzeirense, se despedindo do clube com 21 gols marcados.

Em 2014, o atacante boliviano retornou a Toca da Raposa para aumentar ainda mais sua idolatria com a torcida e com o clube.

No primeiro semestre, participou da campanha que levou o Time do Povo a conquista do Campeonato Mineiro em cima do rival Atlético-MG, de maneira invicta.

No dia 7 de dezembro, em partida contra o Fluminense, válida pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2014, o jogador alcançou a marca de 45 gols com a camisa celeste com um golaço de voleio, ultrapassando o espanhol Fernando Carazo como o maior artilheiro estrangeiro da história do clube mineiro.

Um pouco antes, no dia 23 de novembro, a equipe celeste se tornou tetracampeã brasileira após a vitória sobre o Goiás por 2 a 1 no Mineirão, com duas rodadas de antecedência, terminando Marcelo Moreno como o terceiro maior artilheiro da competição juntamente com Ricardo Goulart, cada um com 15 gols.

Tostão

Tostão comandou o Cruzeiro na conquista da Taça Brasil de 1966. O título sobre o Santos de Pelé colocou o clube definitivamente como força no cenário nacional. O craque Cruzeirense fez quatro gols na campanha, sendo dois na decisão: um na goleada por 6 a 2, no Mineirão, e outro no triunfo por 3 a 2, no Pacaembu, que sacramentou o primeiro título nacional Celeste.

Com a camisa da Raposa, Tostão foi ainda pentacampeão mineiro entre 1965 e 1969, maior série hegemônica do Cruzeiro no estado. Foi artilheiro do Estadual em 1966 (18 gols), 1967 (20 gols) e 1968 (20 gols).

Em abril de 1972, Tostão foi negociado com o Vasco por Cr$ 3,5 milhões, maior transação do futebol brasileiro à época. E assim se despediu do clube em que iniciou a trajetória profissional em 1963. 

Ao todo, com a camisa do clube mineiro o craque marcou 245 gols em 383 jogos, sendo o maior artilheiro de todos os tempos do Cruzeiro.

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.