Histórias da Copa do Mundo: Jogador recebe 3 cartões amarelos em um só jogo (2006)

Com a Copa do Mundo de 2022 no Catar prestes a começar, estamos fazendo uma retrospectiva da história da Copa do Mundo com seus momentos bons, ruins e inesquecíveis que permanecem em nossas memórias até hoje.

As regras disciplinares no futebol são bastante simples. Se um jogador cometer uma infração que mereça um cartão amarelo, ele recebe um cartão amarelo como advertência. Caso esse jogador cometa outra infração, recebe outro cartão amarelo que resulta em cartão vermelho. E, nesse caso, o jogador está automaticamente expulso. Mas, em alguns casos, parece que três cartões amarelos são dados ao mesmo indivíduo antes que o cartão vermelho seja usado. Na verdade, isso aconteceu apenas uma vez em toda a história da Copa do Mundo, e o árbitro que cometeu esse erro foi Graham Poll.

Apesar de ser um árbitro de sucesso na Premier League e desfrutar de uma carreira de mais de 25 anos, ele será para sempre lembrado como ‘aquele cara que deu três cartões amarelos’. Infelizmente ou não, ele cometeu esse erro no maior palco do futebol, a Copa do Mundo. Isso aconteceu na Copa do Mundo de 2006 durante um jogo entre Austrália e Croácia, e é algo que os fãs de futebol nunca esquecerão.

Poll cometeu esse erro no  último jogo do grupo, com as duas equipes tentando se classificar para as oitavas de final do evento. A partida terminou em 2 a 2, e a Austrália foi para as fases eliminatórias. Olhando para trás, foi bom, pois a Croácia que se beneficiou pelo fato de um de seus jogadores permanecer em campo sendo que deveria ter sido expulso.

Claro, esta é apenas uma visão geral do que aconteceu naquela partida. Há outros detalhes que gostaríamos de compartilhar além disso, então vamos lá.

Graham Poll – um árbitro diferente

Antes de entrarmos nos detalhes dos três cartões amarelos dados durante este jogo, achamos justo falar um pouco sobre Graham Poll de uma maneira positiva, primeiro. Afinal, ele é um dos árbitros mais condecorados e respeitados do esporte, pelo menos até cometer esse erro na Copa do Mundo de 2006. Mas antes que isso acontecesse, Poll teve uma grande carreira como árbitro na Inglaterra. Ele estava lá no início da Premier League, quando foi selecionado para arbitrar jogos importantes em 1993. Antes disso, ele ainda arbitrou jogos que eram conhecidos como ‘Primeira Divisão’.

Gragam Pool na Copa do Mundo de 2006
Gragam Pool na Copa do Mundo de 2006

Claro, seu histórico como árbitro de sucesso foi o que o levou a entrar na lista de árbitros da Premier League. E Poll provaria à Premier League que esta foi uma boa decisão da parte deles. Arbitrou mais de 1.500 partidas durante sua carreira e lidou com partidas de alto nível por um total de 26 anos. Poll não foi um árbitro principal durante toda a sua carreira, ele foi construindo sua carreira começando como árbitro assistente para que ele pudesse se tornar o principal, então você precisa reconhecer isso.

Graham Poll também se tornou ‘listado pela FIFA em 1996, o que significava que ele era capaz de arbitrar jogos que aconteciam em torneios reconhecidos pela FIFA. Naturalmente, isso permitiu a ele arbitrar jogos na Copa do Mundo também. Arbitrou a partida principal da Copa do Mundo em duas ocasiões distintas – uma em 2002 e outra em 2006. Mas, infelizmente, por causa do erro cometido neste confronto da Copa envolvendo a Croácia e a Austrália, ele decidiu se aposentar da arbitragem internacional.

Um relato detalhado dos três cartões amarelos

Então aí está – uma visão geral do famoso jogo que Poll distribuiu três cartões amarelos, e também deixou a duvidar a sua experiência como árbitro. No entanto, como o foco aqui é compartilhar a história desses três cartões amarelos, é necessário fazer um resumo do que aconteceu naquele dia. Todos esses detalhes curiosos serão compartilhados logo abaixo.

Pelo fato de que Poll entregou três cartões amarelos ao mesmo jogador, deve haver um jogador por trás dessa história. E esse jogador foi o zagueiro croata, Josip Simunic, que não teve absolutamente nenhuma intenção de enganar o árbitro. Portanto, antes de todos olharem para Simunic como o vilão dessa história, devemos enfatizar que isso está bem longe da verdade. Acontece que há algo sobre o Simunic que pode ter causado uma confusão para Graham Poll, no entanto, sobre isso vamos falar em breve.

Mas, por enquanto, basta ter em mente que o jogador que recebeu os cartões foi Josip Simunic, um dos zagueiros croatas.

O primeiro cartão amarelo

Como Poll distribuiu esses três cartões amarelos para o mesmo indivíduo, o primeiro cartão teve que vir em algum momento durante a partida! E foi aos 61 minutos que Poll mostrou pela primeira vez o cartão amarelo a Simunic. Este foi dado por causa de um lance bastante agressivo feito em um dos australianos, então Poll, com razão, pegou o cartão amarelo do bolso e advertiu. Portanto, para garantir que você também esteja acompanhando, anota aí que um cartão amarelo já foi dado nesse instante.

Claro, que foi aí que os problemas começaram. Em qualquer outro jogo de futebol, isso significa que mais um cartão amarelo dado a Simunic resultaria em sua expulsão. Então, se ele não seguisse as regras mais uma vez na partida, Poll deveria expulsá-lo. Acontece que Simunic cometeu outra infração passível de outro cartão amarelo, mas assim como um gato – ele recebeu mais “vidas” do que talvez devesse.

O segundo cartão amarelo

No final do jogo, Poll colocou a mão no bolso para dar o segundo cartão amarelo para Simunic. Isso ocorreu aos 90 minutos para um outro lance ruim. E como muitos outros árbitros antes dele, Poll passou a anotar o nome do jogador e número da camisa no cartão amarelo. Mas então, para a surpresa dos jogadores, torcedores no estádio e de todo o mundo, Poll nunca tirou o cartão vermelho do bolso. Em vez disso, ele colocou o cartão amarelo de volta no bolso e Simunic permaneceu em campo.

Neste momento, parecia que Simunic havia escapado das regras do jogo devido a um grande erro de Poll. No entanto, como o destino quis, Simunic acabou sendo expulso, mas não porque Poll percebeu o erro que tinha acabado de cometer. É por isso que esta história é tão interessante, o que nos leva ao terceiro cartão amarelo.

O terceiro cartão amarelo

Se você realmente quisesse se safar de receber dois cartões enquanto estivesse em campo, certamente manteria a cabeça baixa e continuaria como se nada tivesse acontecido? Bem, Simunic não seguiu essa linha de pensamento. Em vez disso, ele continuou a protestar contra a decisão que Poll havia tomado, em vez de correr na outra direção e evitar o olhar de Poll. Seu protesto contra a advertência resultou em Simunic empurrando Poll, o que obviamente é uma ação merecedora de punição. Por causa disso, Poll enfiou a mão no bolso e tirou o terceiro cartão amarelo contra Simunic.

Logo depois ele colocou o cartão vermelho na frente do rosto de Simunic que acabou sendo expulso. No entanto, neste momento, o estrago já estava feito. O erro de entregar três cartões amarelos foi testemunhado pelo mundo inteiro assim como pelos comandos da FIFA.

Como isso aconteceu?

Poll não tinha percebido o que ele tinha feito até o fim do jogo. E quando ele de fato viu o erro, ele imediatamente pediu para se retirar do torneio e voltar para casa. Isso foi honrado pela FIFA, mas ainda havia uma grande questão que permanecia sem resposta – como ele conseguiu dar o cartão amarelo para o mesmo jogador três vezes? Acredite ou não, a resposta é na verdade uma história de coincidência em vez de um erro de arbitragem.

Em entrevistas que se seguiram à partida, Poll explicou como isso ocorreu. Basicamente, Poll usava um sistema de identificação dos jogadores onde ele dividia as equipes em das colunas. Ele então escrevia o nome do jogador e o número da camisa na respectiva coluna do time ao dar os cartões. Aqui é onde o erro acontece. Por incrível coincidência, Simunic, enquanto jogava pela Croácia, nasceu na Austrália. Ele morou lá até os 19 anos e, por causa disso, Simunic falava com um sotaque australiano bem marcante.

Então no calor do jogo, Graham Poll colocou o primeiro cartão amarelo australiano para o número 3, Craig Moore. Claro que a cor da camisa deveria ter sido suficiente para Poll acertar e colocar essa marcação na coluna croata. Mas esse erro é compreensível, especialmente com a tensão e o caos da Copa do Mundo de futebol. É um erro que pode ocorrer facilmente devido ao sotaque de Simunic.

No entanto, por outro lado, você pensaria que um árbitro com a experiência de Poll, teria evitado esse erro tão grande. De qualquer forma, o lado positivo aqui é que o erro não afetou o resultado da partida de forma alguma, já que isso aconteceu nos últimos minutos.

 

Juliano Garcia Juliano Garcia

Apaixonado por esporte, sou um dos criadores do Minha Torcida.