Harry Maguire acredita que vencer a Copa do Mundo é uma obrigação

A confiança para chegar à final de uma Copa do Mundo é fundamental entre as seleções, ter um pensamento positivo, e além disso, mostrar que está na competição para ser campeão é crucial e faz toda a diferença dentro de campo. 

Essa motivação não é diferente na Seleção Inglesa, mas para o defensor inglês Harry Maguire, a Copa do Mundo do Qatar vai muito além de levantar a taça. Para ele, sair com a vitória é uma obrigação. 

Acontece que a Copa do Mundo de 2018 deixou péssimas lembranças para a Inglaterra. Durante a semifinal, o time inglês foi eliminado contra a Croácia por 2×1, e o que seria um momento heroico para os jogadores, deixou uma lembrança amarga em cada um naquele dia.

“Essa é a única coisa que eu diria que é muito diferente da equipe de 2018”. Joguei quando chegamos à semifinal e muitos rapazes ficaram contentes. Você sabia que o que quer que acontecesse naquela semifinal, você iria para casa e seria classificado como um herói; você teria uma boa recepção, todos dariam tapinhas nas suas costas. Agora há uma crença de que temos que vencer este torneio.” Comentou o jogador.

Apesar de confiante em dizer que a Inglaterra pode levantar a taça nesta competição, o atleta não subestima os outros times. Pelo contrário, Maguire acredita que assim como a Inglaterra, os outros classificados vêm com o mesmo pensamento e com a crença de que é possível chegar à final.

“Claro que sabemos o quão difícil vai ser. Provavelmente existem cinco ou seis equipes com a mesma crença. Mas em 2018 provavelmente não éramos uma dessas equipes. Agora há cinco ou seis que têm essa crença e nós somos um deles.” Disse.

Maguire, e sua relação de desconfiança com o torcedor inglês 

Apesar de demonstrar que o time inglês não é mais o mesmo de 2018, Maguire passou por momentos frustrantes no último ano que deixaram o torcedor da Inglaterra desconfiado ao ver o defensor jogar pelo país.

Atuando pelo Manchester United, Maguire viveu fases muito ruins em campo na temporada passada, além disso, os Diabos Vermelhos não agradaram nem um pouco o público após partidas desanimadoras.

Uma grande parte dessa grande responsabilidade de Maguire, é causada porque mesmo com os erros cometidos durante as partidas, o jogador tinha o peso de ser o capitão do time inglês. 

Um dos momentos que foram, provavelmente marcantes para o defensor foi durante sua substituição no amistoso entre Inglaterra e Costa do Marfim ao ser vaiado pela torcida. Na partida pelas eliminatórias da Copa do Mundo, Maguire também foi longe de ser o favorito da seleção. Nos jogos contra a Itália e a Alemanha, o jogador não fez boas atuações. Após os confrontos, Maguire não foi mais escalado devido a uma lesão na coxa. 

Os erros e a insegurança de Maguire resultaram em dúvidas quando o assunto era a convocação para a Copa do Mundo. Para muitos, o atleta não era uma opção viável, além disso, o jogador era o quarto zagueiro do Manchester United, complicando ainda mais sua relação com os torcedores ingleses.

Em entrevista, Maguire conta como lida com a situação junto de sua família:

“Antes de tudo, ouço as pessoas ao meu redor, como minha família e amigos, meus companheiros de equipe, a equipe aqui. Sei o quanto sou valorizado, sinto isso dentro do campo. Isso me dá muita fé. Eu também volto às minhas memórias passadas e performances em torneios. No verão do ano passado, eu estava na equipe Europeia do torneio. Eu sei do que sou capaz.” Confessa o jogador.

E ainda ressalta:

“Durante uma carreira, provavelmente apenas Lionel Messi e Cristiano [Ronaldo] não tiveram uma queda. Não tem como, principalmente com todo o escrutínio que está nas defesas hoje em dia, você não vai ter quedas. É como você se recupera delas.” 

Harry Maguire pelo Manchester United (Foto: Peter Powell/EPA-EFE/Shutterstock)
Harry Maguire pelo Manchester United (Foto: Peter Powell/EPA-EFE/Shutterstock)
Atuação na Copa do Mundo do Qatar

Talvez a Copa do Mundo tenha dado a Maguire uma nova oportunidade de mostrar seu futebol. Durante a competição, o defensor foi titular em todos os quatro jogos e mostrou boas atuações. A Inglaterra venceu dois dos três jogos da fase de grupos, e passou tranquila pelas oitavas de final contra Senegal.

“Como jogador, você quer jogar e esta é a primeira temporada que realmente fico no banco em alguns jogos. Mas vou lutar para ter meu lugar de volta [no United]. Consegui jogar os 90 minutos contra o West Ham e o Villa após minha lesão na coxa e senti que estava entrando em forma. Você quer jogar no seu ritmo e estou feliz por ter conseguido os primeiros jogos da Copa do Mundo. Estou em um ritmo de jogo agora. Estou em um bom lugar.” Conclui o jogador.

A Inglaterra se prepara para o próximo confronto pelas quartas de final que acontece no sábado (10) às 16h contra a França. O time que sair com a vitória se classifica para a semifinal e pode enfrentar Marrocos ou Portugal.

Foto destaque: Reprodução

Giovanna Giaretta Giovanna Giaretta

Jornalista formada pela UFOP, Giovanna Giaretta é apaixonada por esportes e entrou na universidade com o objetivo de se tornar Jornalista Esportiva. Cruzeirense fanática, ela não perde um jogo do time mineiro.