Após o episódio do GP da Bélgica, onde a Federação Internacional de Automobilismo finalizou a prova com apenas três voltas em decorrência das fortes chuvas na região, irá convidar os chefes de equipes para uma conversa, uma vez que tal atitude repercutiu de forma negativa.

Elogiados por não forçarem a realização da prova no perigoso circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica, os mesmos (Michel Mais - diretor de provas e a FIA) foram duramente criticados pelo resultado final do GP em destaque, assim como também na distribuição de pontos com apenas três voltas realizadas, sendo todas atrás do Safety Car.

Entre os pilotos mais desgostosos como o GP da Bélgica fora encerrado, está o heptacampeão Lewis Hamilton, que expressou sua infelicidade com a prova, onde sugeriu que a F1 coloca o dinheiro acima dos fãs.

"Hoje foi uma farsa, e as únicas pessoas que perdem com isso são os fãs, que pagaram caro para nos ver correndo", declarou o inglês em sua conta no Instagram.

Domenicali insatisfeito com o final do GP da Bélgica

O chefão da F1, Stefano Domenicali concordou com as reclamações de Lewis Hamilton e de como a corrida fora encerrada, declarando não ser o ideal, donde a partir daí decidiu conversar com a cúpula da categoria para tratar sobre possíveis alterações no regulamento.

Para ele, será preciso construir um consenso de que episódios como o do último domingo não se repitam, e que seja garantido que o resultado seja dado apenas após um certo número de volta com bandeira verde, ou que se crie um procedimento de adiamento da corrida; no entanto, esse tema precisa ser aprovado pelas equipes, pela FIA e pelos organizadores da Fórmula 1.