Com "disputa" interna de poder na Confederação Brasileira de Futebol, caso Rogério Caboclo retorne ao cargo de presidente da entidade, esse promete realizar uma reformulação ampla na diretoria da mesma, onde inicialmente deve se livrar de boa parte dos diretores ligados a Marco Polo Del Nero, ex-presidente da CBF.

Del Nero mesmo banido do futebol pela FIFA em 2018 - por conta de acusações de corrupção, segue tendo poderes dentro da entidade máxima do futebol brasileiro, com seus pares ligados a atual administração.

Mas também lembramos que Caboclo chegou à presidência da CBF através de Marco Polo Del Nero, sendo seu candidato na última eleição da entidade. Em razão desta "ajuda", o mandatário manteve o ex-presidente ligado a "direção" da CBF, porém, recentemente os dois romperam relações e então Del Nero passou a trabalhar nos bastidores para desgastar a imagem de Caboclo e assim tirá-lo do poder.

Caboclo acuado de assédio sexual dentro da CBF

Atualmente Rogério Caboclo está afastado da presidência da Confederação Brasileira de Futebol por acusação de assediar sexualmente e moralmente uma funcionaria da entidade; negado por ele em todos os momentos.

Fora de sua função a mais de 70 dias, em concordância da Comissão de Ética da casa, essa mesma na próxima quarta-feira dará seu veredicto final sobre o caso, em uma assembléia que contará com a presença das 27 federações estaduais.

Vale salientar que qualquer punição imposta ao presidente Caboclo, deverá ter pelo menos 21 votos dessas entidades; mesmo que ele seja punido pelas federações, a Comissão aqui acima citada ainda assim poderá defender sua penalização, devolvendo a ele seus poderes, o que poderá geral uma forte modificação dentro da CBF; aguardemos!