Grêmio recebe e recusa ofertas por Gabriel Chapecó

Mesmo com a queda para a segunda divisão na temporada passada, os jogadores oriundos das categorias de base do Grêmio continuam sob olhares de equipes do continente europeu.

Se antes o clube possuía como premissa o retorno esportivo do atleta, agora, tendo em vista a queda de receitas que o Tricolor Gaúcho prevê para a temporada – em relação a 2021, a direção projeta 37% a menos em receitas para 2022 – o Grêmio já avalia positivamente para a viabilização de vendas, com o intuito de manter o equilíbrio financeiro.

No início do ano, o clube oficializou a venda do lateral direito Vanderson ao Mônaco, da França. O negócio renderá cerca de 7,7 milhões de euros aos cofres gremistas, tendo em vista que o montante total da negociação entre as partes foi de 11 milhões de euros e o Grêmio possuía 70% dos direitos econômicos do jogador. A nível de bônus, conforme o atingimento de metas, o Grêmio poderá receber mais 3 milhões de euros.

Direção recebe ofertas por Gabriel Chapecó

Dentre os atletas do atual plantel gremista, o goleiro Gabriel Chapecó é o jogador que vem recebendo o maior número de sondagens e, por vezes, sinalizações de ofertas do mercado do exterior.

Conforme apurado pela reportagem, o mercado italiano é o principal interesse no goleiro gremista. Recentemente, a Sampdoria e o Verona sinalizaram com ofertas pelo jogador.

A Samp propôs ao Grêmio uma negociação via molde de empréstimo com opção de compra de Chapecó em cerca de 6 milhões de euros, o que não agradou a direção gremista. Já o Hellas Verona sinalizou com possibilidade de pagar 2 milhões de euros pelo goleiro. O valor foi considerado insatisfatório pelo Tricolor Gaúcho, que recusou a sinalização.

Acadêmico de jornalismo na UniRitter, entusiasta por futebol e tudo que acontece nesse mundo esportivo