Michel Platini foi afastado da presidência da Uefa, no ano de 2015, após se ver envolvido em casos de corrupção.O francês cumpriu a punição de quatro anos e, em entrevista à "France Info", comentou sobre o momento vivido, onde nesta mesma culpou o ex-presidente da FIFA - Joseph Blatter e falou em "conspiração" para impedi-lo a chegar ao poder.

"Fizeram de mim o Al Capone. Me chamaram de falsificador, corrupto, que lavei dinheiro. É complicado para mim e minha família. Quando você é rotulado dessa forma e não sabe porquê, dói. Veio um pouco de todo mundo e foi alimentado pela FIFA. Todos me apoiaram, mas ninguém me ajudou", declarou ele que ainda completou dizendo:

"Comecei a perceber que era tudo uma conspiração, um enredo. Comecei a me defender, tentei encontrar os melhores caminhos, mas, no final, sabia que nunca iria vencer. Estava preso desde o início. Não me queriam como presidente da Uefa, não queriam que eu chegasse a presidência da FIFA", atacou.

O grande culpado nesta história para Platini é na verdade o ex-presidente da entidade máxima do futebol - Joseph Blatter. Para o ex-jogador francês, o suíço "criou uma atmosfera" contra ele, que o impediram de vir a se tornar o presidente da principal entidade do futebol - aqui falando na FIFA.

"Blatter criou uma atmosfera contra mim e outros que trabalharam nela. Fizeram de tudo para que eu não fosse o presidente da Fifa. Tenho valores no futebol, podia ter criado um novo mundo no futebol e isso não agradou internamente", justificou.