O futuro do futebol pode ser modificado de forma como nunca antes vista. No último domingo (18), doze dos principais clubes do futebol europeu assinaram um acordo anunciando a criação da Superliga Europeia. A principal ideia é ser um projeto de oposição para a Liga dos Campeões da Europa.

Para a temporada de estreia, 12 clubes anunciaram acordo para a temporada inaugural da Superliga. Além deles, outros 3 clubes ainda são aguardados para integrarem a competição. No comunicado oficial dos clubes, ainda está determinado que o torneio iniciará "assim que for possível".

Os clubes participantes até o momento são:

  • Arsenal, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Chelsea e Liverpool (Inglaterra)
  • Atletico de Madrid, Barcelona e Real Madrid (Espanha)
  • Inter de Milão, Juventus e Milan (Itália)

Entretanto, o assunto será alvo de muita polêmica nos próximos meses. Presidida pelo presidente do Real Madrid, Fiorentino Pérez, a Superliga Europeia precisa primeiramente conseguir dialogar com a FIFA e a UEFA. Esse é o objetivo da Superliga, que conforme dito em seu comunicado, espera no futuro "encontrar melhores soluções para a Superliga e para o futebol mundial", dialogando com as entidades máximas do futebol europeu e mundial.

FIFA e UEFA prometem punir clubes participantes da Superliga

Todavia, em contra-partida, a FIFA e a UEFA simplesmente entraram em "guerra" contra este novo movimento. De acordo com um artigo publicado pelo jornal americano "New York Times", as entidades prometem punir de forma severa os participantes da Superliga. Entre outras punições, estão as seguintes:

  • Jogadores podem ser banidos de defenderem suas seleções em competições oficiais;
  • Times participantes da Superliga podem ser banidos das competições organizadas pela FIFA e pela UEFA, europeias e internacionais.
Comunicado oficial emitido pela UEFA. (Foto: Reprodução)
Comunicado oficial emitido pela UEFA. (Foto: Reprodução)

Confira o comunicado na íntegra clicando aqui.

Mas, se por um lado, os principais clubes do futebol mundial estão criando a Superliga, os finalistas da última edição da UEFA Champions League, Bayern de Munique e Paris Saint-Germain se recusaram a fazer parte desta nova competição.

Além deles, o movimento de oposição à criação da Superliga Europeia conta com apoio das principais ligas da Europa. A Ligue One (França), a Bundesliga (Alemanha), a Premier League (Inglaterra), a Serie A (Itália), além da La Liga (Espanha).

Qual será o formato da Superliga Europeia?

  • Serão 20 clubes participantes, sendo 15 deles fundadores do torneio, e os 5 clubes restantes participantes serão definidos por um mecanismo de classificação para os outros cincos se juntarem com base no rendimento do time na temporada anterior.
  • Os jogos serão sempre no meio de semana, respeitando a participação dos clubes em suas ligas nacionais, e preservando o calendário atual de jogos domésticos.

  • Os times serão dividos em 2 grupos, de 10 times cada em um mês de agosto, jogando em casa e fora, com os 3 primeiros colocados de cada grupo se classificando para as quartas de final. Os times que ficarem em 4º e 5º colocado dos dois grupos, disputarão um playoff de ida e volta pelas vagas restantes.

  • O formato de mata-mata em jogos de ida e volta será utilizado até a grande final, que será no mês de maio, em jogo único com local neutro.

De acordo com a entidade, assim que for possível, também será desenvolvida uma Superliga Europeia para o futebol feminino. O objetivo é "ajudar a desenvolver e avançar o futebol feminino".

Ainda de acordo com o comunicado oficial, a ideia da Superliga Europeia é proporcionar "um desenvolvimento econômico significantimente maior e apoio ao futebol europeu por meio de um compromisso de longo prazo com pagamentos de solidariedade ilimitados, que crescerão de acordo com as receitas da Superliga."

Será também criada uma base financeira sustentável para os clubes fundadores receberem 3,5 bilhões de euros exclusivamente para apoiar seus planos de investimento e infraestrutura, com o objetivo de compensar as perdas por conta da pandemia da COVID-19.

UEFA deve anunciar mudanças na Liga dos Campeões da Europa

O anúncio da criação da Superliga Europeia cai como uma bomba, no momento em que a UEFA promete mudar de forma significativa o formato da Liga dos Campeões da Europa. A entidade fará uma reunião com o Comitê Executivo nesta segunda-feira (19), onde o objetivo é aprovar uma profunda mudança no formato do torneio, como sendo uma medida para eliminar a possibilidade de surgimento da Superliga.

Em nota, a UEFA agradeceu os clubes que se recusaram a participar da Superliga.

Pelo lado da ECA (Associação Europeia de Clubes), também se manifestou oficialmente. A entidade, que conta com grandes clubes da Europa, também se posicionou contra a criação da Superliga.

"A ECA, como organismo representativo de 246 clubes de primeira linha em toda a Europa, reafirma o seu empenho em trabalhar no desenvolvimento do modelo de competição de clubes da Uefa, com a Uefa, para o ciclo que começa em 2024", declarou em comunicado oficial no Twitter.

"A ECA mantém-se na posição aprovada no seu Comitê Executivo de 16 de abril, ou seja, apoia o compromisso de trabalhar com a Uefa numa nova estrutura para o futebol europeu como um todo após 2024", acrescentou o organismo.