Em uma reunião extraordinária, a Federação Internacional de Automobilismo - FIA, anunciou nesta última terça-feira - 1º de março que pilotos russos e bielorrussos poderão seguir competindo, no entanto, não poderão utilizar a bandeira de seus países.

Convocada em caráter de urgência, a reunião serviu para discutir os desdobramentos do conflito entre Rússia e Ucrânia, iniciados na última semana; esta mesma serviu para rever o pedido da Federação de Automobilismo da Ucrânia que pediu a FIA a suspensão das licenças de pilotos russos.

Eventos em solos russos e bielorrussos

Além deste comunicado acima apontado, a FIA também declarou após a reunião que nenhum evento seu será realizado na Rússia ou na Belarus até segunda ordem, desta forma, como já mencionado em outra matéria publicada aqui neste site, o GP de Sochi de F1 está oficialmente cancelado em 2022 por motivos de "força maior", como destaca em nota:

"Nenhuma competição internacional será realizada na Rússia ou Bielorrússia, até novo aviso", destacou o órgão competente do automobilismo mundial, que seguiu:

"Nenhuma bandeira ou símbolo ou hino desses dois países serão usados em competições internacionais. Nenhuma equipe nacional russa/bielorrussa poderá participar de competições internacionais. Pilotos russos/bielorrussos, competidores individuais e oficiais poderão participar de competições internacionais apenas sob bandeira neutra e sob a "bandeira da FIA", sujeito a compromissos específicos e adesão aos princípios de paz e neutralidade política da FIA".

Além dessas determinações, é importante salientar que os pilotos desses dois países não poderão competir de forma alguma em corridas no Reino Unido, deste modo, Mazepin corre sério risco de não poder participar do GP da Inglaterra de F1 neste ano.