Ao que tudo indica, o futuro do volante Fernando Henrique seguirá sendo no Grêmio. Conforme apurado, nesta sexta-feira, o jovem jogador, juntamente com seu estafe, decidiu recusar a proposta concreta do Al Ain, dos Emirados Árabes.

Por mais que a oferta do clube árabe tenha sido de um salário muito mais vantajoso em relação aos vencimentos atuais de Fernando Henrique no Grêmio, o entendimento do representante do atleta é que, no momento, outras questões estão à frente do aspecto financeiro.

- Os motivos (pela recusa à oferta árabe) são alguns, como o ganho desportivo no Grêmio, por ser uma marca muito forte, o mercado brasileiro, que possibilita uma ampla visibilidade, e o planejamento para a carreira do Fernando Henrique, que, nesse momento, é mais importante que os aspectos financeiros - disse Marcelo Pacheco, empresário de Fernando Henrique, para a reportagem.

A recusa de Fernando Henrique é determinante para inviabilizar a negociação com o Al Ain, tendo em vista que, por uma questão de fluxo de caixa, o Grêmio estava inclinado a concretizar a transferência do volante aos Emirados Árabes.

Volante é visado no mercado

Além do Al Ain, recentemente, outras equipes também demonstraram interesse na contratação de Fernando Henrique. O Al Wasl, dos Emirados Árabes, chegou a realizar uma consulta pelo jogador, porém sem apresentar oferta concreta.

O Brentford, da Inglaterra, e o Midtyland, da Dinamarca, também chegaram a procurar o estafe do volante para entender a situação do atleta no Grêmio.

Fernando Henrique possui contrato com o Tricolor Gaúcho até o final de 2024 e sua multa rescisória está fixada em 40 milhões de euros. O Grêmio detém 60% dos direitos econômicos do atleta.