Após confirmação da saída do técnico Felipão, na última segunda-feira (11), do Grêmio, com quem tinha contrato até dezembro de 2022, ao que indica perdoou uma “dívida” milionária, segundo reportagem do “GE”.

Segundo o site acima citado, ao invés do Tricolor Gaúcho pagar 14 meses restante de salário ao treinador, em um acordo firmado com o profissional pagará somente o equivalente a mais um mês de salário como forma de indenização.

Valor esse que segundo apurado, deve ser algo em torno de R$ 500 mil. Tal acordo em sua saída vai de encontro ao que revelou recentemente o empresário Jorge Machado, em entrevista a “Rádio Grenal”, aonde revelou na época que Felipão teria aceito receber vencimentos bem menores no Tricolor do que os costumeiramente praticados.

Muito disso pelos impactos da pandemia e também por sua história construída no clube; fatores esses que fizeram o profissional também deixar o comando técnico com sentimento de preocupação, onde destaca o seguinte:

“Foi 25% mais ou menos do que o Felipão realmente pratica treinando times. Felipão queria ajudar o Grêmio. Foi um salário bem aquém do nível que é o treinador. No Grêmio, o Felipão teve respaldo de tudo. Infelizmente não aconteceu mas tenho certeza que acontecerá ainda. Ele saiu tranquilo, mas preocupado com o próximo jogo e com a situação do Grêmio”, teria revelado Machado.

Próximo treinador do Grêmio

As últimas informações vindas de Porto Alegre indica que há uma possibilidade do clube gaúcho fechar com Wagner Mancini, que atualmente faz um excelente trabalho a frente do América-MG; mas nada oficial, desta forma aguardemos pelas próximas informações.