A trajetória de Daniel Alves com a camisa do São Paulo, na maior parte do tempo, chamou mais atenção pelas polêmicas do que pelas conquistas ou por boas atuações. E, mais um capítulo ocorreu no início da tarde desta sexta-feira (10), através da diretoria do clube, que optou pelo afastamento do camisa 10.

Através de um pronunciamento oficial nas suas redes sociais, a diretoria do clube afirmou que foi comunicada pelos representantes de Daniel Alves de que o jogador não atuaria pelo clube até que houvesse reajuste na dívida financeira entre as partes, envolvendo atraso de salários e bonificações.

Conforme a diretoria, o clube reconhece a dívida e já apresentou uma proposta para renegociação, esta que foi prontamente recusada. Por isso, o São Paulo optou pelo afastamento de Daniel Alves, alegando que "ninguém é maior do que o São Paulo". Veja abaixo o pronunciamento oficial do clube:

"Daniel Alves e Miranda estavam servindo a seleção brasileira e deveriam se apresentar hoje para começarem os treinamentos normais visando os próximos jogos. Miranda compareceu, treinou normalmente. Daniel Alves não compareceu. Fomos comunicados pelos representares que o Daniel Alves não retornará ao São Paulo até o ajuste da dívida financeira que o São Paulo tem com o atleta. Dívida essa que o São Paulo reconhece e na última semana fez uma proposta buscando o acerto, que não foi aceita pelos representantes. A negociação seguirá com o departamento jurídico e financeiro. Do ponto de vista do departamento de futebol, nós comunicamos, tomamos a decisão e comunicamos ao Hernán Crespo que Daniel Alves não estará mais a disposição para atuar no time do São Paulo. O São Paulo é mais importante do que todos nós." afirmou o diretor de futebol Carlos Belmonte, ao lado de Rui Costa e Muricy Ramalho.

Dívida do São Paulo com Daniel Alves é antiga

A dívida do tricolor paulista com Daniel Alves é de aproximadamente R$11 milhões. Esta quantia se refere a atrasos de salários (Daniel Alves recebe o maior salário do futebol brasileiro), além de bonificações previstas em contrato.

Logo após fechar a contratação, em 2019, o São Paulo anunciou que buscaria investidores para dividir o pagamento dos vencimentos do atleta. Entretanto, não houve sucesso, e com isso, as pendências aumentaram, fazendo com que a consequência fosse o cenário atual.