CORNETOU MESMO! Ex-zagueiro alega que Copa do Mundo vencida pela Argentina teve ajuda da arbitragem

Conquistar uma Copa do Mundo é o sonho de qualquer jogador, independente do país que atua, chegar a glória máxima do esporte é uma realização de um sonho e a concretização de um trabalho duro e da persistência. Na última edição da competição, realizada no Catar, quem conseguiu levantar a taça de campeão foi a Argentina, quebrando duas sequências do futebol sul-Americano. A primeira era justamente da própria seleção, que não sabia oque era conquistar o mundial há 26 anos, sendo campeão pela última vez em 1986, justamente em seu país.

Por outro lado, a conquista da Argentina interrompeu também uma sequência de 16 anos sem uma seleção da América do Sul  ter sido campeã, a última era justamente o Brasil, que venceu pela quinta vez em 2002 no Japão e Coréia do Sul. Desde então, somente europeus tinha sido campeões. Contudo, nem todos os sul-americanos ficaram contentes em ver os “hermanos” sendo campeões. Isso porque, Diego Lugano, ex-zagueiro do São Paulo e da Seleção Uruguaia não perdeu a oportunidade de cornetear o título argentino.

CORNETOU MESMO! Ex-zagueiro alega que Copa do Mundo vencida pela Argentina teve ajuda da arbitragem
Imagem: reprodução

Argentina favorecida no Mundial de 2022

Em entrevista ao programa de rádio uruguaio Fútbol por Carve. Diego Lugano foi enfático em afirmar que a conquista da Copa do Mundo pela Seleção da Argentina em 2022, teve a “mão amiga” da arbitragem.  No entanto, não deixa de exaltar Lionel Messi, capitão da seleção e principal jogador do time. Veja abaixo o trecho;

“Eles [juízes] ajudaram a Argentina a ser campeã mundial. Não há dúvida de que eles lhe deram uma mão amiga. Tiveram os seus méritos, mas dos cinco pênaltis que deram, quatro não foram. Totalmente forçados. Isso é uma realidade. Mas, também é um mérito do Messi, que movimenta o mundo”.

Além disso, o jogador também fez questão de se manifestar e criticar as ações do VAR, no qual alega que os jogadores precisam se movimentar mais em relação a uma decisão polêmica envolvendo o equipamento, no qual facilitaria, mas não é oque acontece.

“O que me preocupa é que os jogadores não se movimentam para dar a sua opinião. Não pode um clássico ou um jogo ser definido por tamanha estupidez. Está definido um campeonato, o futuro de um jogador ou de um treinador. O VAR traz mais dúvidas do que justiça ao futebol. Obriga o juiz a intervir em jogadas estúpidas e inconsequentes. Eles não entendem o que é um contato”.

Raphael Almeida Raphael Almeida

Jornalista 33 anos. Atualmente sou repórter e comentarista na Web Rádio Bate Fundo Esportivo. Redator no portal Minha Torcida com passagens por Premier League Brasil e Futebol na Veia.