JEJUM! Corinthians projeta investimento pesado para voltar a conquistar títulos

Em abril inicia as principais competições da temporada 2023. Sendo assim, o Corinthians vem se preparando para sua estreia na Libertadores e no Campeonato Brasileiro. Sem sucesso no Paulistão, a equipe de Fernando Lazaro completa quatro anos sem levantar uma taça. Por isso, a diretoria do Timão, projeta mudar a história e buscar ao menos um título ainda este ano.

Vale lembrar que o Corinthians, chegou na decisão do Copa do Brasil de 2022, mas não conseguiu superar o Flamengo nos pênaltis, que na época era comandado por Dorival Junior. Ainda, a equipe paulista, terminou a Série A em quarto lugar na tabela e viu novamente o Palmeiras levar o título de campeão brasileiro.

Volante do Corinthians ressalta a falta de títulos

Dessa maneira, em entrevista a Gazeta Esportiva, o volante Maycon ressaltou o jejum de títulos que o Corinthians vem sofrendo nos últimos quatro anos e comparou a situação do time com os dos rivais, Palmeiras e Flamengo que vem conquistando a maior parte dos campeonatos da temporada.

“Acho que voltar a ganhar títulos (para estar no mesmo nível que os rivais). O Corinthians já está há um tempo sem ganhar e, quando você está no Corinthians, não dá pra ficar muito tempo sem isso. O Palmeiras e o Flamengo, que são os rivais que todos colocam como favoritos, são times que estão vencendo e sendo campeões, e o Corinthians não. É esse passinho que a gente tem que dar, voltar a vencer e se igualar no patamar deles. É trabalhando que se consegue isso”

Em suma, a estreia do Timão na CONMEBOL Libertadores acontece no dia 6 de abril contra o Liverpool, do Uruguai. A partida é válida pela primeira rodada da fase de grupos da competição. E no Brasileirão Série A, o time entra em campo no dia 15 de abril, contra o Cruzeiro, na Neo Química Arena.

Foto destaque: Marco Galvão/IconSport

Carolina Castro Carolina Castro

Tenho 25 anos e sou formada em jornalismo. Desde criança desenvolvi o gosto por esporte e por isso escolhi ser jornalista. Foi a profissão que me deixou mais próxima daquilo que mais amo: falar e escrever sobre esporte.