Sem acreditar muito no trabalho dos treinadores brasileiros, embora Abel Braga tenha mostrado o contrário na temporada 2020, o Internacional que demitiu Diego Aguirre nesta semana coloca como preferencial um nome estrangeiro para comandar o time em 2022.

Mesmo dizendo não ter um prazo para comunicar o novo treinador, mas colocando o dia 31 de dezembro como data limite para anunciar esse nome, o colorado busca escolher o profissional nesses últimos dias de 2021 para assim acelerar o planejamento para a nova temporada.

Sem muitas opções - apenas três nomes em sua lista, a mesma chama a atenção por ter como preferenciais, profissionais estrangeiros, bem como: Alexandre Medina, Eduardo Domínguez e Sebastián Beccacece.

Aqui, para acreditar em um nome de fora do país, a direção do Inter se apega a uma pré-temporada longa, onde esse terá tempo para se ambientar ao futebol nacional e com isso entender melhor o ambiente.

Roger Machado correndo por fora

Mesmo acreditando que o Inter deva ser comandado por um treinador de fora do Brasil e não tendo o mesmo cartaz que os demais concorrentes no momento, um nome aqui da "terrinha" corre por fora para dirigir o time em 2022; estamos falando de Roger Machado, que está sem clube.

Saídas do elenco e busca por reforços

Com saídas já confirmadas, como a de Marcelo Lomba e Saravia, que tiveram seus contratos finalizados, a direção diz estar atrás de reforços e deve anunciar o primeiro nome em breve, sem dar pistas de qual posição seja esta.

Quem deve ser anunciado também muito em breve é um velho conhecido dos torcedores colorados; aqui falamos de D'Alessandro, que está voltando ao Beira-Rio para se aposentar dos gramados e após um contrato de seis meses, assumir uma função na direção do clube.