O Internacional voltou a decepcionar na disputa do Campeonato Gaúcho. Neste domingo (20), atuando no estádio Passo d'Areia, em duelo válido pela 8ª rodada do Gauchão, o Colorado enfrentou o São José e, mesmo após ter inaugurado o marcador ainda no primeiro tempo, sofreu a virada na segunda etapa e foi derrotado por 3x2.

Emprestado pelo Grêmio ao São José até o término do Campeonato Gaúcho, o centroavante Kevin Quejada foi o grande comandante da virada do Zequinha contra o Internacional. Após ingressar na equipe no lugar do atacante Mazola no intervalo da partida, o colombiano precisou de apenas 18 minutos para balançar as redes do adversário e virar a partida a favor do São José.

Em contato com a reportagem, o centroavante Kevin Quejada falou a respeito da experiência que está tendo através da passagem pelo São José e também sobre o seu primeiro gol como profissional, marcado neste domingo (20) contra o Internacional.

"Quando se apresentou a oportunidade de ser emprestado ao São José, não pensei duas vezes. Na hora tomei a decisão que gostaria de ser emprestado para ganhar experiência e jogar a nível profissional, que era o que eu estava esperando há tempos. Acho que aos poucos venho conquistando grandes jogos e a última partida, que foi contra o Internacional, foi muito especial, pois consegui fazer o meu primeiro gol como profissional. Isso vai me ajudando muito para seguir ganhando experiência".

O colombiano também revelou possuir grande gratidão ao Grêmio, clube com quem tem contrato até o final de 2023.

"Tenho certa gratidão com o Grêmio, que foi o time que me abriu as portas e que foi a parte mais importante da minha carreira como jogador. Depois disso, consegui melhorar muitas valências que eu tinha e potencializar as qualidades".

Kevin também falou à reportagem sobre sua relação com Martin Avenatti, seu atual representante e que é vinculado à empresa Sports Business Associates.

"Ele (Martin) é uma pessoa que sempre esteve comigo desde o começo da minha carreira. Ele facilitou muito para mim aqui no Brasil. Se não fosse pelo Martin, creio que muitas coisas teriam sido difíceis. Ele é uma pessoa muito importante para mim e espero contar com ele por muito tempo".