A CBF lançou nesta última sexta-feira as novas diretrizes técnicas operacionais para a realização de competições em 2021. O material apresentado trata principalmente do retorno do Brasileirão - Séries A e B, que voltaram aos gramados neste final de semana.

O novo guia médico de sugestões protetivas para o retorno às atividades do futebol brasileiro da CBF, não traz nenhuma informação de quando os torcedores poderão retornar aos estádios.

Volta de torcedores aos estádios dependerá de variáveis

Algo que segundo o Presidente da Comissão Nacional de Médicos da CBF - Jorge Pagura dependerá de variáveis e acompanhamento periódico das condições de segurança sanitária.

"Quando falamos em setembro. Toda vez que você fala em pandemia e crava uma data, você erra. É como uma série, um episódio por dia. Recebemos atualizações todo dia", declarou Pagura em entrevista ao SporTV.

A entidade máxima do futebol brasileiro reforça que todos os cuidados, como o uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos - devem seguir sendo respeitados até mesmos pelos jogadores já vacinados.

As novas regras que foram assinadas por 10 médicos da comissão médica especial, determina a extensão de testes RT-PCR para integrantes da comissão técnica inscritos na súmula do jogo - em total de sete pessoas para cada equipe, além claro, dos jogadores, treinadores e árbitros.

Além dessas, em 2021 também fora criado o cargo de Fiscal Sanitário, que será o responsável pela realização de inspeções em hotéis das equipes e também na estrutura destinada a equipes nos estádios

Veja abaixo as funções do Fiscal Sanitário

  • Alvará sanitário
  • Utilização de máscaras por todos os funcionários dos hotéis
  • Condições dos locais de refeição
  • Disponibilidade de dispensers de álcool em gel a 70% em locais estratégicos
  • Inquéritos epidemiológicos nos funcionários dos hotéis com maior proximidade com integrantes de delegações
  • Chega de delegações no estádio
  • Utilização de máscaras dentro da área sensível do jogo
  • Proibição do cumprimento com contato entre atletas, integrantes das comissões técnicas e árbitros
  • Verificação do cumprimento do protocolo nas zonas sensíveis do jogo
  • Averiguação da presença de pelo menos um médico em cada banco de reservas