Deu ruim! Brasil lidera ranking de suspeita em manipulação de jogos

Segundo relatório divulgado pelo Sportradar, o Brasil é o país com maior índice de suspeita de manipulação de jogos na última temporada. Em 2022, foram cerca de 152 jogos suspeitos, ou seja, isso representa 47% dos casos ocorridos entre os 10 países que foram feito o levantamento dos dados. Contudo, em todos os casos duvidosos, menos de 1% foi constatada a “manipulação de resultados”.

Futebol é a modalidade mais envolvida em suspeitas

Além disso, o futebol, principal esporte praticado e consumido pelos brasileiros, tiveram mais números na suspeitas em manipulações de jogos. Corresponde exatamente em 71,5% dos casos. Outro país sul-americano também marca presença no ranking, em 7º lugar a Argentina aparece com uma suspeita de 39 casos assim. Sendo assim, confira abaixo o ranking completo e os números de cada país.

  1. Brasil – 152
  2. Rússia – 92
  3. República Tcheca – 56
  4. Cazaquistão – 43
  5. China – 41
  6. Grécia – 40
  7. Argentina – 39
  8. Filipinas – 37
  9. Polônia – 36
  10. Tailândia – 35

Ao todo, foram 12 modalidades que tiveram envolvimentos em suspeita de manipulação de jogos no ano passado em 92 países ao redor do mundo. A empresa responsável pelo levantamento, tem monitorado mais de 850 mil jogos em 70 esportes em todo o planeta.

Número de manipulação de jogos aumenta em 2022

De acordo com o relatório, na temporada passada, os número de suspeita de manipulação de jogos aumentaram consideravelmente. De 2021 para 2022, teve uma elevação em 34%, sendo exatamente 1.212 partidas duvidosas. A pesquisa mostra confiança nos dados apresentados e nas tecnologias usadas para fazer esse levantamento.

“Nossa tecnologia nos permite monitorar mais jogos em um nível mais profundo, fornecendo informações mais detalhadas e precisas para ajudar nossos parceiros, clientes e a indústria esportiva em geral nos esforços para proteger os eventos esportivos da corrupção. Esperamos apoiar ainda mais federações esportivas e autoridades legais em 2023” – informou Andreas Krannich, Diretor Global da Sportradar Integrity Services.
Carolina Castro Carolina Castro

Tenho 25 anos e sou formada em jornalismo. Desde criança desenvolvi o gosto por esporte e por isso escolhi ser jornalista. Foi a profissão que me deixou mais próxima daquilo que mais amo: falar e escrever sobre esporte.