BOMBA! Cleber Machado entra na lista dos demitidos da Globo

Nesta quarta-feira (22), foi confirmada a demissão de mais um diamante da Globo. Na emissora há 35 anos, Cleber Machado não faz mais parte da equipe de narradores. O portal Notícias da TV informou que a Rede Globo confirmou a informação nesta tarde. Cleber Machado estava na Globo desde 1988, e era o responsável por narrar os jogos das equipes paulistas como São Paulo, Palmeiras, Corinthians e Santos na TV aberta.

“O vínculo fixo de Cléber Machado com a Globo chega ao fim, mas as portas da empresa continuam abertas para novos projetos no futuro. Nos últimos 35 anos, Cleber Machado narrou grandes momentos do esporte brasileiro na Globo” – disse em nota.

Perda de espaço

O profissional, vinha perdendo espaço na emissora conforme os anos e isso ficou nítido na última Copa do Mundo no Catar, no final do ano passado. O narrador não fez parte da equipe que viajou para o país-sede na cobertura do evento da FIFA. Do mesmo modo, a decisão entre Argentina x França quem comandou foi Luís Roberto, que, aliás, foi a terceira final de Mundial seguida que narrou. Ainda, virou o primeiro a substituir Galvão Bueno nas suas ausências.

Portanto, resta aguardar para saber qual será o futuro de Cleber Machado fora da Rede Globo. Assim como Galvão Bueno, que iniciou um novo projeto com transmissões de jogos pelo YouTube. Cleber deve migrar para uma nova emissora ou até mesmo uma proposta nas plataformas de streaming.

E agora?

A Rede Globo tem feito algumas reformulações em seu elenco de jornalistas e profissionais da comunicação. Além de Cleber Machado, nesta terça-feira (21), foi confirmada saída de Sandro Meira Ricci e Fernanda Colombo, ex-árbitros que, além de fazer suas análises em jogos da temporada de futebol, também comandavam a Central do Apito. Portanto, pode ser que não acabe por aí as mudanças da principal emissora de televisão do país.

Carolina Castro Carolina Castro

Tenho 25 anos e sou formada em jornalismo. Desde criança desenvolvi o gosto por esporte e por isso escolhi ser jornalista. Foi a profissão que me deixou mais próxima daquilo que mais amo: falar e escrever sobre esporte.