Em um caminho que mostra ser sem volta, os clubes brasileiros estão rumando para virar clubes-empresas, assim como o Botafogo, Cruzeiro e outros que já estão neste rumo.

Agora, nesta segunda-feira, surge a informação de que o Atlético-MG recebeu uma proposta de R$ 1 bilhão do mesmo grupo que comanda o Manchester City, no entanto, a oferta não teria agradado a cúpula atleticana, que estuda sim a abertura de uma SAF e negocia parceria com potenciais sócios.

Por sua vez, o City Football Group busca um clube brasileiro para ser o carro-chefe na América do Sul.

A oferta deste grupo já acima citado dá conta da aquisição de 51% do potencial clube-empresa atleticano, o que daria a esse poder majoritário na estrutura de Sociedade Anônima do Futebol - SAF.

Como também já dito acima, a cúpula do Galo considerou a proposta baixa, onde esses trabalham com uma estimativa de valor de mercado próximo a R$ 2 bilhões.

Depois de já terem realizado uma reunião entre os representantes do clube mineiro e o CEO do grupo britânico, lembramos que os empresários Rubens e Rafael Menín, bem como Ricardo Guimarães e Renato Salvador - que atualmente dão suporte financeiro ao Atlético-MG, foram conhecer as estruturas dos ingleses.

Atlético-MG no mercado financeiro

Mesmo estando em alta, com a conquista dos títulos do Brasileirão e da Copa do Brasil 2021, contendo um dos elencos mais caros do futebol nacional, o Galo está fragilizado financeiramente, onde seu endividamento bate na casa dos R$ 1,3 bilhão; dado apontado em junho de 2021.

City Football Group

O grupo em destaque é formado por 11 clubes, em diversos continentes, onde possui participação majoritária ou parcial, assim, desta forma, o City Football Group tem a intenção de aumentar a presença no futebol sul-americano, onde projeta a compra de um clube no Brasil, que deve ser o carro-chefe na região, aguardemos!